Jornal do Brasil

Sexta-feira, 25 de Julho de 2014

País

Governo quer transparência de preços para hotéis durante a Copa

Primeiro acordo foi fechado com a rede hoteleira do Rio de Janeiro

Jornal do Brasil

Após encontro com a secretária nacional do Consumidor, Juliana Pereira, representantes das redes de hotéis do Rio de Janeiro comprometeram-se a colocar em seus sites os valores das tarifas que serão cobradas no período da Copa do Mundo. A Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça quer que os hotéis das 12 cidades-sede do Mundial deem transparência aos seus preços e publiquem na Internet os valores das diárias que serão cobradas nesse período.

A ideia da Secretaria é levar essa iniciativa do Rio de Janeiro para as demais sedes da Copa. O órgão vai usar como referência nas demais 11 sedes os picos de demanda de cada uma delas.

"O pico de demanda no Rio é diferente do de Cuiabá, por exemplo. Aqui é Carnaval e Réveillon e em Cuiabá é o período de águas, por exemplo. Temos que respeitar as características de cada lugar", disse Juliana Pereira. 

A secretária informou que a cidade de Cuiabá, uma das sedes da Copa, tem sido a campeão de reclamações. Um hotel teria cobrado R$ 4 mil por uma diária e há informações que casas em volta do estádio que receberá jogos da Copa estão cobrando até R$ 200 mil de aluguel durante o Mundial.

Ao mesmo tempo, o Procon do Rio de Janeiro anunciou nesta quinta-feira um pacote de medidas para fiscalizar os possíveis preços abusivos da rede hoteleira da capital fluminense, tendo em vista os milhares de turistas que se deslocarão para a cidade em junho, quando tem início a Copa do Mundo da Fifa.

O órgão promoverá uma equipe de corpo jurídico específica para comparar os valores cobrados por sites dos mais variados hotéis, agências de viagens e também páginas online especializadas no aluguel de apartamento por temporada.

O Procon também disponibilizará, via Central de Atendimento da Prefeitura do Rio, no telefone 1746, com a opção número 8, atendentes em inglês e espanhol para que o consumidor brasileiro e estrangeiro possa fazer suas reclamações e tirar eventuais dúvidas sobre hospedagem na capital fluminense durante a Copa.

Em encontro com a secretária nacional do Consumidor, Juliana Pereira, a coordenadora do Procon Rio, Solange Amaral, afirmou que “é fundamental garantir excelência e transparência dos serviços da cidade durante os jogos”. 

Tags: acordo, hoteleira, rede, Rio, Secretaria

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.