Jornal do Brasil

Terça-feira, 16 de Setembro de 2014

País

Médicos brasileiros atacam novamente colegas estrangeiros

Falhas de brasileiros, no entanto, não são divulgadas

Jornal do Brasil

A internet é a nova arma utilizada pelos médicos brasileiros para criticar o trabalho dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos. Os opositores do programa do governo federal criaram um blog para publicar receitas prescritas supostamente por médicos cubanos, com erros de medicamentos e do vocabulário técnico. No entanto, a opinião da população é bem diferente dessa parcela da classe médica e a atuação dos cubanos na periferia das capitais brasileiras vem sendo elogiada e já conquistou a confiança dos pacientes.

Enquanto uma parcela dos médicos brasileiros está mais preocupada em espalhar pelas redes sociais os supostos erros dos profissionais cubanos, o corporativismo da categoria tenta sempre amenizar as falhas mais graves dos colegas de profissão. Não houve uma mobilização dos médicos brasileiros para avaliar a conduta do neurocirurgião Adão Orlando Crespo, aquele que faltou o plantão na véspera de Natal no Hospital Salgado Filho, em 2012. A menina Adrielly dos Santos Vieira, de 10 anos, que chegou na unidade médica atingida por uma bala perdida, teve que aguardar por oito horas para ser operada e morreu 11 dias depois.

As investigações da Polícia Civil comprovaram que o neurocirurgião fraudava a escala de plantão há mais de cinco anos. Mesmo com todas as evidências, Adão Crespo disse não se sentir culpado pela morte de Adrielly e ainda afirmou que se sentia vítima de uma situação.  As entidades representativas e os próprios profissionais da área da saúde se empenharam em criticar o sistema precário de saúde para justificar o crime de Adão Crespo, assim como acontece em tantos outros casos semelhantes.  E voltando às tais receitas supostamente prescritas pelos médicos cubanos, ninguém ainda comprovou a veracidade das informações contidas no blog. 

Tags: blog, crítca, Cubanos, mais, médicos, receitas

Compartilhe:

Comentários

1 comentário
  • jurema Simão

    Falar mal de colega, realmente é uma falta de ética, mas não acho correto os salários e as condições precárias de atendimento nos hospitais públicos brasileiros. Se houvessem mais médicos trabalhando, mesmo faltando um, não aconteceria esse problema! Mas, onde deveriam ter dez, tem dois!

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.