Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Abril de 2014

País

Retardatários da Mega da Virada lotaram lotéricas em SP

Portal Terra

Filas gigantes, gente apressada, aquela expressão de ansiedade e olhos no celular, ou melhor, nas cartelas que estão sobre ele. O dia 31 de dezembro foi ponto facultativo em repartições públicas e alterou o horário do comércio em várias cidades brasileiras, mas, em cidades como São Paulo, foi a oportunidade final de apostas pelo cobiçado prêmio de R$ 219 milhões da Mega-Sena da Virada. O sorteio acontece nesta terça, às 20h, na capital paulista, mas as apostas se encerraram às 14h.

A reportagem do Terra conversou com 'retardatários' que resolveram fazer a fezinha nos minutos finais. Entre as promessas de uso da bolada, estão desde viagens a perder de vista, sozinho ou acompanhado, a ajuda aos mais necessitados. Há também planos mirabolantes - mas que, com o super prêmio, ficam mais fáceis de executar, ao menos na imaginação.

"Pedi ao meu filho de nove anos para marcar os seis números em dois jogos. E prometi que, se ganhar, mando fazer para ele a Terra do Nunca", disse o pintor Deivid Rocha Santos, 32, referindo-se ao rancho antológico construído na Flórida e onde morou, por 17 anos, o cantor Michael Jackson, falecido em 2009.

Para o garçom Ivanildo Silva Araújo, 32, o prêmio - dividido ou não com outro (s) sortudo (s) - já tem destinação: "Quero dar uma vida melhor a meus pais e construir uma igreja para evangelizar e ajudar o próximo", contou.

Técnica administrativa na Universidade de São Paulo (USP), a pedagoga Marli Vázquez Navarro, 42, também prometeu não olhar apenas para si caso acerte as dezenas.

"Não sou piegas, mas tem tanta criança na rua precisando de ajuda e de educação que, eu tenho certeza, se eu semear um brotinho, a coisa se multiplica", comentou. "Se a gente não fizer pela educação, vamos formar um exército de gente que qualquer um conduz", completou. E para si, o que faria? "Quero viajar bastante e adquirir cultura, pois é a única coisa que se leva desta vida. Mas claro: viajar com um carro bom, né."

Família fez mais de 100 apostas

Também em uma extensa fila a poucos minutos de encerrarem as apostas, o chefe de cozinha Luís Henrique Matheus, 31, tinha um bolo de apostas na mão. "São da família toda. Ao todo, mais de cem jogos", explicou.

Já o corretor Antonio José Carreira, 60, conversou enquanto preenchia os jogos. "Eu estava trabalhando ali do lado (no Butantã, zona oeste de SP) e vi essa fila grande. Aí pensei: se eu jogar e ganhar, diminuo o meu trabalho aqui", riu. Mas avisou: "Se eu ganhar, metade vou usar para fins sociais; a outra metade vai para minha família."

O casal Geraldo Junior, 28, motoboy, e Tainá César, 26, assistente administrativa, deu a letra: "Se a gente ganhar, vai viajar o mundo todo. E eu vou investir em uma boa educação para o meu filho, além de um carro bom para mim", disse ele. A mulher completou: "Eu topo um carro popular, mesmo, mas vou viajar e ter minha casa própria".

"Não acredito nessas coisas", diz jovem

Ao lado de uma das lotéricas cheias de fila, o funcionário de uma banca de jornal observava o movimento extra com desdém.

"Não joguei e não vou jogar, porque não acredito nessas coisas. Mas aqui um  monte de cliente diz que jogou até R$ 1 mil e jura que vai ganhar --aí volta amanhã e reclama que perdeu dinheiro. Eu, pelo menos, não perco", filosofou.

Na poupança, rendimento chega a R$ 1 mi/mês

De acordo com a Caixa Econômica Federal, só de investimento na poupança, o ganhador do prêmio inteiro terá por mês cerca de R$ 1 milhão. Se investir em bens, a bolada é suficiente para comprar 400 casas no valor de R$ 500 mil, cada, ou uma frota de mais de 1,3 mil carros de luxo. 

Até a tarde dessa segunda-feira, o valor arrecadado para a Mega da Virada já totalizava R$ 512 milhões, equivalente a 256 milhões de apostas, com mais de 66 milhões de bilhetes vendidos.

Tags: caixa, loterias, milionário, premiação, virada

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.