Jornal do Brasil

Domingo, 20 de Abril de 2014

País

Quatorze feridos em acidente na Régis Bittencourt continuam internados

Agência Brasil

São Paulo – Entre os feridos no acidente com o ônibus que caiu de uma ribanceira na madrugada de domingo (22), na Rodovia Régis Bittencourt, 14 pessoas continuam internadas em hospitais da região metropolitana de São Paulo. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, apenas uma vítima, internada no Hospital Geral de Itapecerica da Serra, apresenta estado grave. No total, 16 pessoas morreram.

Além da vítima em estado grave, mais nove permanecem no hospital de Itapecerica, e outros cinco feridos estão no Hospital Geral de Pirajussara. Mais dez pessoas que ficaram feridas no acidente foram levadas para hospitais municipais de São Lourenço da Serra e Juquitiba. Todas foram liberadas em seguida.

No início da manhã de hoje (23), a Secretaria de Segurança Pública confirmou duas mortes: a de Valéria Santos Leite, de 44 anos, que constava no boletim de ocorrência como desconhecida, foi identificada pelo filho, e de Jucinéia Justino Leal, de 42 anos, que morreu às 17h10 de ontem (22) no Hospital-Geral de Pirajussara.

Os nomes das outras vítimas são: Nelício Mário Engel, 52 anos, João Paulo Souza Lima, 23 anos, João Paulo Quintanilha Cordeiro, 19 anos, João da Silva Lima, 60 anos, Ademilde Guimarães Salles, 60 anos, Julio Cezar de Oliveira Salles, 65 anos, Justa Lindamir dos Anjos, 55 anos, Daniel Pinel de Souza, 60 anos, Maria Aparecida Alves da Silva, 59 anos, Erico Roberto Bittencourt, 30 anos, Iva Pereira da Silva, 40 anos, Gimena Aranda, 43 anos, Marcos de Oliveira da Silva, idade desconhecida, e Valéria Santos Leite, de 44 anos.

O ônibus da Viação Nossa Senhora da Penha viajava de Curitiba para o Rio de Janeiro, e perdeu o controle, por volta das 2h da manhã, na altura do quilômetro 300 da rodovia, na cidade de São Lourenço da Serra (SP). Entre os 55 ocupantes (contando com o motorista), 13 morreram na hora.

A empresa de ônibus divulgou nota solidarizando-se com os parentes e amigos das vítimas. A viação informou que disponibilizou acomodações em hotéis, despesas com deslocamentos aéreos e terrestres aos parentes dos passageiros internados, além de auxílios aos que sobreviveram. A empresa também ofereceu um telefone de atendimento: 0800 646 2122.

Polícia vai investigar carga horária de motorista de ônibus acidentado

A Polícia Civil de São Paulo anunciou, nesta segunda-feira, que irá pedir à empresa Nossa Senhora da Penha - responsável pelo ônibus que capotou na rodovia Régis Bittencourt na madrugada de domingo, matando 16 pessoas – o relatório com a carga horária do motorista do veículo. Em entrevista à rádio CBN, o delegado titular de São Lourenço da Serra (SP), Flávio Luís Teixeira, informou que irá pedir essa e outras informações para prosseguir com as investigações. “Em relação à companhia, vamos aguardar o laudo da perícia no ônibus e vamos também nos aprofundar nessa questão da carga horaria dos motoristas”, disse.

A principal hipótese levantada pela Polícia Civil é de que o condutor tenha dormido ao volante, provocando o acidente. Ontem, o motorista foi ouvido na delegacia de Itapecerica da Serra, também na Grande São Paulo, pelo delegado Renato Gonçalves Coletes. Após o depoimento, o motorista, que não teve o nome divulgado, foi submetido a exame de corpo delito e toxicológico no Instituto Médico Legal (IML) da cidade. Conforme a polícia, ele já havia sido submetido a exame de bafômetro logo após o acidente, sem constatação de que teria ingerido álcool.

O caso agora será conduzido à delegacia da cidade vizinha, que fica na área do acidente.  Segundo o delegado Teixeira, as investigações serão iniciadas na cidade assim que a documentação chegar de Itapecerica. Como a maioria das vítimas mora em outros Estados, os depoimentos serão feitos por carta precatória.

A princípio, o motorista do ônibus será indiciado por homicídio culposo (sem intenção de matar). A acusação só deverá mudar caso os exames toxicológicos apontem alguma alteração.  Os laudos foram pedidos em caráter de urgência e deverão ser entregues em até duas semanas.

Tags: estado, feridos, grave, Hospital, Régis

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.