Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

País

Corpo do senador João Ribeiro é velado no Tocantins

Portal Terra

O corpo do senador João Ribeiro (PR) chegou ao Palácio Araguaia, em Palmas, por volta das 3h30 desta quinta-feira. Na cerimônia fúnebre, familiares, amigos e algumas autoridades estavam presentes. O líder político morreu na última quarta-feira após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC), no hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

No velório, os primeiros 15 minutos foram reservados à família, logo depois foi a vez das autoridades e amigos próximos e só depois a sala do palácio foi aberta ao público. O governador do Estado, Siqueira Campos (PSDB), que declarou oposição ao senador há alguns meses, estava emocionado e não quis falar com a imprensa.

Desde o ano passado o senador, que tinha 59 anos, tratava de um tipo de leucemia rara, chamada síndrome mielodisplástica. Ele passou por cirurgias e tratamentos longos e dolorosos, segundo os familiares. O quadro de saúde de João Ribeiro se agravou desde o último fim de semana, quando ele teve um sangramento no pulmão, causado por uma bactéria.

João Ribeiro estava internado desde o dia 16 de novembro no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Em janeiro deste ano, o senador fez um transplante de medula óssea. Desde então, ele estava afastado do cargo, que foi assumido pelo seu suplente Ataídes Oliveira (PROS). O corpo de João Ribeiro será enterrado nesta quinta, às 17h, no cemitério Jardim das Acácias, em Palmas.

De acordo com a cunhada do senador Lauane Alves Caetano, João Ribeiro lutou com determinação contra a doença e mesmo depois de ir para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), teve melhoras no quadro de saúde. "Mas depois ele teve uma recaída e não resistiu", disse ela.

Carreira

O republicano iniciou a carreira política como vereador na cidade de Araguaína, norte do Tocantins, em 1982. Após isso,  ele foi eleito como deputado estadual e depois como prefeito de Araguaína. No ano de 1994, ele concorreu à Câmara Federal e foi eleito. Quatro anos depois foi reeleito. Em 2003 chegou ao Senado Federal, e em 2010 reeleito novamente. O senador teria mandato até janeiro de 2019.

Acusações

João Ribeiro já foi acusado de manter 35 trabalhadores em sua fazenda no Pará, em condições análogas e de escravidão. No ano passado, por sete votos a três, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitaram a denúncia feita pelo Ministério Público. Desta forma, o republicano respondia ação penal por trabalho escravo, fraude de direitos trabalhistas e aliciamento de trabalhadores.

Tags: corpo, FUNERAL, palácio, palmas, Senador

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.