Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Abril de 2014

País

Cancelar greve é "manifestação de consciência", diz ministro da Aviação

Portal Terra

O ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, comemorou o acordo feito entre os Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) e as empresas aéreas pelo cancelamento da greve prevista para esta sexta-feira nos principais aeroportos do País. Em visita ao Santos Dumont, no Rio de Janeiro, Franco chamou de “manifestação de consciência pública” o acordo para que não haja qualquer paralisação nos serviços aos passageiros.

“Haverá uma movimentação intensa nos aeroportos brasileiros e a família brasileira terá a oportunidade de passar o natal com tranquilidade”, complementou ainda, após conhecer as melhorias implementadas na dispersão de passageiros no setor externo do aeroporto da região central do Rio – as filas de táxi agora estão organizadas entre comum e especial, e um ônibus deslocará passageiros até a estação Cinelândia do Metrô.

De acordo com Moreira Franco, “amanhã vamos bater o recorde de passageiros, em torno de 360 mil passageiros”, no dia que marca o início da saída em massa das pessoas em celebração das festas de fim de ano. Somente a companhia aérea Gol emitiu cerca de 150 mil bilhetes. “Eu tenho certeza que São Pedro vai nos ajudar, sem criar dificuldades no clima, e vamos bater esse recorde com muita alegria”, ressaltou ainda.

Após a ameaça de greve tanto de aeronautas (comissários e pilotos) quanto de aeroviários (funcionários de solo), as companhias aéreas (TAM, Gol e Azul) entraram com uma ação junto ao Tribunal Superior de Trabalho para que, ao menos, 80% dos funcionários fossem deslocados para atender a alta demanda esperada. O TST acatou o pedido, e a Justiça ainda determinou multa diária de R$ 100 mil caso não fosse atendida tal reivindicação das empresas.

O sindicatos dos pilotos e comissários acabou aceitando a proposta de 5,6% de reajuste salarial, além de outros itens que envolvem melhorias nas condições de trabalho, como acréscimo no vale alimentação. A categoria reivindicava aumento de 8%. Anteriormente, o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA) já havia firmado acordo para os funcionários que trabalham no solo.

Em ambas as categorias, o dissídio coletivo para reajuste ocorre sempre no mês de dezembro, e não é a primeira vez que ocorrem ameaças de paralisação nos serviços justamente no momento de maior deslocamento de passageiros para natal e réveillon. Na opinião do ministro da Aviação Civil, “de fato, não é uma data mais adequada, mas é um acordo entre as partes. Os empregados, e empregadores, com o aval da Justiça do Trabalho. São eles que decidem. Espero que eles possam chegar a um entendimento e mudar essa data”.

Tags: aéreas, aeronautas, franco, moreira, paralisação

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.