Jornal do Brasil

Domingo, 20 de Abril de 2014

País

PF se reúne com polícias argentinas e uruguaias para evitar incidentes na Copa

Portal Terra

A Polícia Federal do Rio Grande do Sul está mobilizada para conhecer as barras argentinas que vêm ao Brasil para a Copa do Mundo. Na última semana, policiais federais estiveram reunidos com as polícias da Argentina e do Uruguai para trocar informações sobre a reunião de barras Hinchadas Unidas Argentinas e as possíveis excursões de torcedores que devem passar pela fronteira do Rio Grande do Sul.

As barras argentinas devem contar com transporte, hospedagem e assistência jurídica no seu centro de operações, em Porto Alegre. A Argentina jogará no Rio, em Belo Horizonte e Porto Alegre na primeira fase, enquanto o Uruguai atuará em Fortaleza, São Paulo e Natal. Desde o dia do sorteio da Copa, a Polícia Federal está mobilizada para descobrir quem são os torcedores que podem chegar ao Brasil para a Copa do Mundo.

Segundo o superintendente da Polícia Federal do Rio Grande do Sul, Sandro Caron de Moraes, esse primeiro contato serve para iniciar um plano de ação que vá garantir a segurança. "Se algum estrangeiro entrar em situação irregular, será deportado", afirma o superintendente.

A delegação brasileira iniciou contatos com a Interpol e com as autoridades argentinas e uruguaias e deve apresentar um plano de ação em breve. Estão sendo analisadas as possibilidades jurídicas de todos os três países, para definir medidas relativas à política de migração e de segurança em fronteiras e aeroportos, bem como para autoridades. O objetivo é garantir a segurança dos torcedores brasileiros e estrangeiros na Copa do Mundo. "Não é um caso de preocupação, mas de atenção", afirma Moraes, que considera a ação preventiva importante para evitar eventuais conflitos.

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, manifestou preocupação com a possível presença de barras bravas na Copa e afirmou que representantes da prefeitura vão viajar para Buenos Aires, a fim de conversar com o Boca Juniors e o River Plate. "Vamos mostrar-lhes que vamos recebê-los da melhor forma possível, em clima de paz", disse o prefeito. As torcidas de River e Boca, porém, não fazem parte da reunião de barras Hinchadas Unidas Argentinas, encabeçada por Pablo Álvarez, o Bebote, líder da barra do Independiente.

Tags: lideranças, Mundial, polícia, prevenção, torcedores

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.