Jornal do Brasil

Sábado, 19 de Abril de 2014

País

SP: comando da guarda de Araraquara cai após câmeras espiarem mulheres

Portal Terra

O comandante da Guarda Municipal de Araraquara, Rudi Bauer Zytkuewisz, e o gerente da central de monitoramento, Alexandre Pomponi, foram demitidos nesta sexta-feira pelo prefeito Marcelo Barbieri, após a denúncia de que agentes da guarda usavam câmeras de segurança para filmar mulheres e casais, além de focalizar as partes íntimas dos transeuntes.

Após a apresentação da denúncia, na quarta-feira, na Câmara Municipal, o então secretário de Segurança Pública, Eli Schiavi, pediu exoneração do cargo na quinta-feira, alegando motivos de saúde.

Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura de Araraquara, a desoneração de Schiavi, Zytkuewisz e Pomponi deve ser publicada neste sábado no Diário Oficial. Para o lugar do ex-secretário de Segurança, foi nomeado o coronel José Antônio Spera. Ainda não foi definido quem ocupará os cargos deixados pela cúpula da Guarda Municipal de Araraquara. 

Vereadora denuncia Guarda Municipal

A Guarda Municipal (GM) de Araraquara, no interior de São Paulo, é investigada após uma denúncia de que agentes estariam utilizando as câmeras municipais de vigilância para seguir mulheres e casais, focalizando as partes íntimas dos transeuntes. Segundo a Câmara Municipal, a central de monitoramento implantada em uma sala da Arena da Fonte Luminosa, transformou-se em “uma espécie de sala de vídeos eróticos”.

Na quarta-feira, a vereadora Gabriela Palombo, responsável pela denúncia, exibiu um vídeo mostrando as imagens captadas pelas, segundo ela, “poucas câmeras ainda em funcionamento” na rua Nove de Julho, na região central da cidade. De acordo com a vereadora, os operadores das câmeras focalizaram seios e nádegas de mulheres que passavam pelo local e deram total atenção para um casal de adolescentes que namorava na praça Pedro de Toledo. Ainda segundo a denúncia, os agentes já foram flagrados assistindo a um jogo de futebol com a central vazia e com todos os equipamentos desligados.

A vereadora recebeu o material de uma fonte anônima, com pouco mais de 30 minutos de imagens e já acionou o Ministério Público (MP). Ela encaminhará representações ao Ministério Público Federal e ao Ministério da Justiça, uma vez que o equipamento foi instalado com recursos federais.

Tags: . sp, Câmeras, espiãs, interior, mulheres

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.