Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Abril de 2014

País

Temer: PMDB tem poder político e pode disputar Presidência em 2018

Portal Terra

Maior aliado do PT na composição do governo federal, o PMDB cogita lançar uma candidatura própria à Presidência da República em 2018. Segundo o vice-presidente Michel Temer, importante influência política da legenda, o atual prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, poderia ser um bom nome. Ele, no entanto, disse que a decisão sobre o assunto não está tomada.

"Me incomoda quando falam que o PMDB não tem poder político", afirmou Temer. Ele lembrou, em seguida, que os presidentes da Câmara e do Senado, Henrique Eduardo Alves e Renan Calheiros, respectivamente, são filiados à legenda. Também lembrou da titularidade em prefeituras e governos estaduais.

O PMDB hoje ocupa cinco ministérios e tenta ampliar seu número de pastas na próxima reunião ministerial, que pode ocorrer, em princípio, em janeiro do ano que vem. Um dos alvos do partido é o Ministério da Integração Nacional, que era comandado pelo PSB, até o desembarque da legenda do governo federal.

Para o ano que vem, é dada como certa a repetição da aliança do partido com o PT na chapa presidencial, na qual a presidente Dilma Rousseff tentará a reeleição. Em recado a lideranças do partido que sugerem uma antecipação da convenção nacional que definirá a confirmação do apoio ao PT de julho para março, Temer afirma que não deve haver duas reuniões peemedebistas sobre o mesmo tema. "Se anteciparem, tem de ser para valer", disse, acrescentando que não se pode convocar uma convenção apenas para ameaçar o apoio ao PT.

Ao longo de 2013, PMDB e PT vêm tentando aparar as arestas nos cenários estaduais, a fim de conseguir palanque para a coligação nacional. Há divergências consideradas reversíveis em pelo menos sete estados.

Tags: candidatos, eleição, presidência, urna, votação

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.