Jornal do Brasil

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

País

PR: ex-delegado geral da Polícia Civil é preso em operação contra jogo ilegal

Portal Terra

O ex-delegado geral da Polícia Civil do Paraná Marcus Vinicius Michelotto foi preso, na manhã desta terça-feira, em uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que envolve Ministério Público paranaense (MP-PR), Polícia Militar e Polícia Civil, contra o jogo ilegal no Estado. Vários mandados de busca e apreensão e de prisão temporária estão sendo cumpridos, muitos deles contra policiais civis e militares, numa operação mantida em segredo de Justiça.

A operação é um desdobramento do caso da “mansão cassino”, quando, em janeiro de 2012, policiais civis em greve estouraram uma casa de jogo clandestina que, segundo os policiais manifestantes, era frequentada pela cúpula da polícia e outras autoridades do Estado. Também foram detidos o delegado Geraldo João Celezinski, do 8° Distrito Policial, e quatro investigadores, que não tiveram os nomes revelados.

O presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná (Sidepol-PR), Claudio Marques, classificou a operação e as prisões como uma ação política do Gaeco, por conta dos atritos entre o Ministério Público e a Secretaria de Segurança, que discutem as atribuições de cada órgão. Para ele, o caso tem relação com a ação movida pelo MP do Paraná no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) que pede o afastamento do secretário estadual de Segurança, Cid Vasques, e seu retorno aos quadros do MP.

“Está claro que é um choque de instituições. Bem no dia que estava marcado o julgamento do secretário Cid Vasques para decidir sobre a continuidade da licença dele do MP, o Gaeco faz a operação. Isso não é coincidência”, afirmou Marques. “Nenhum delegado participou das investigações do Gaeco. Nenhuma informação nos é repassada. Todos desconhecem as acusações”, reclamou.  

Tags: ação, bicho, Civil, gaeco, paraná, prisões

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.