Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

País

Datafolha: vantagem de Dilma é menor em São Paulo e no Rio

Jornal do Brasil

Pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira pelo jornal Folha de S. Paulo mostra que, se as eleições fossem hoje, a vantagem da presidente Dilma Rousseff no plano nacional não se repete no Rio de Janeiro e em São Paulo. A petista chega a ter até nove pontos a menos no cenário mais provável da disputa, que inclui também o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

No levantamento nacional, Dilma tem 47% contra 19% de Aécio e 11% de Campos. Quando são estratificados apenas os dados para São Paulo, a petista cai para 38% (nove a menos do que na média do país). No Rio, desce para 41%.

A pesquisa foi feita nos dias 28 e 29 de novembro. As margens de erro nacional e paulista são de dois pontos, para mais ou para menos. No caso fluminense, três pontos.

O Datafolha fez entrevistas em todo o país, mas só pode estratificar o resultado para São Paulo e Rio porque nesses estados, onde aferiu também os cenários locais, aplicou um número maior de questionários.

Na disputa contra Aécio e Campos, Dilma ganharia no primeiro turno se a eleição fosse hoje. Isso também ocorreria entre eleitores paulistas e fluminenses, mas com uma vantagem menor.

Na média do Brasil ela tem 17 pontos a mais do que os dois adversários diretos. No Rio, essa vantagem cai para 14. Em São Paulo, só 7.

Mas, apesar da dificuldade de Dilma entre paulistas e fluminenses, os nomes do PSDB e do PSB também ficam no mesmo lugar (dentro da margem de erro). A faixa do eleitorado que engorda é a dos que votariam em branco, nulo, nenhum ou que dizem não saber em quem votar. No Brasil, são 23%. Em São Paulo, 31%. No Rio, 33%.

Se entram outros candidatos, a situação de Dilma se complica um pouco. Num cenário no qual participa como candidato Joaquim Barbosa, a petista teria 44% na média nacional. O presidente do Supremo Tribunal Federal pontua 15%. Aécio teria 14%. E Eduardo Campos, 9%.

Quando esse cenário é pesquisado apenas em São Paulo, a presidente cai para 33%. Ficaria longe de vencer no primeiro turno. Barbosa vai a 20%. Aécio oscila para 13%. E Campos mantém seus 9%. Os votos indecisos, brancos e nulos pulam de 19% (média no Brasil) para 25%.

Tags: 2014, Eleições, enquete, presidente, vantagem

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.