Jornal do Brasil

Quinta-feira, 31 de Julho de 2014

País

Governo adia inauguração de usina termelétrica no Rio Grande do Sul

Agência Brasil

A fase C da Usina Termelétrica de Candiota 3, no Rio Grande do Sul, não será mais inaugurada nesta sexta-feira, como estava previsto. O evento deveria contar com a presença da presidente Dilma Rousseff, do governador do estado, Tarso Genro, e de prefeitos da região, mas o Palácio do Planalto alegou questões de agenda da presidente para o adiamento. O Ministério de Minas e Energia informou que em breve deve ser definida uma nova data para a inauguração da usina.

Para o presidente da Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE), responsável pela termelétrica, Sereno Chaise, a inauguração seria apenas um registro histórico, pois a usina já está em funcionamento. Ele não quis comentar as razões do adiamento do evento. "É um ato de governo, deve ter sua causa, mas a mim não cabe analisar, apenas cumprir", disse ele.

Localizada na cidade de Candiota, no sul do Rio Grande do Sul, a termelétrica tem capacidade instalada de 350 megawatts e começou a gerar energia no dia 3 deste mês. A obra, avaliada em R$ 1,3 bilhão, teve financiamento de US$ 430 milhões do China Development Bank (CDB), e foi construída pela CGTEE.

A presidente manteve sua agenda em Porto Alegre, onde participa, na noite desta quinta-feira, de uma cerimônia alusiva ao Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. O evento é promovido pela Confederação Israelita do Brasil (Conib), com apoio da Federação Israelita do Rio Grande do Sul.

No próximo domingo, dia 30 de janeiro, Dilma viaja para Buenos Aires, onde se reunirá com a presidente Cristina Kirchner, para tratar de acordos com o país vizinho.

Tags: adiamento, inauguração, termelétrica

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.