Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

País

ONG defende a legalização da prostituição no Brasil

Jornal do BrasilJorge Lourenço

Quando a noite cai, cerca de 1,5 milhão de brasileiros vão às ruas, hotéis e prostíbulos do país exercer a profissão mais antiga e, talvez, a menos respeitada do mundo: a prostituição. Mesmo malquisto pela sociedade, o mercado do sexo movimenta cerca de R$ 500 milhões por ano no país e promete se expandir com a realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos.  

A pergunta que fica é: vale a pena legalizar a prostituição no Brasil? Alguns países do primeiro mundo, como Alemanha, Holanda, Suíça e Austrália, apostaram na regulamentação da profissão não só para lucrar, mas também para proteger as garotas de programa, justificativa que não desce bem para quem considera o trabalho degradante.

>> Leia a matéria completa no JB Premium

Tags: copa do mundo, Legalização, prostituição

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.