Jornal do Brasil

Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017

País - Opinião

O furacão Miami-Rio

Jornal do Brasil

Há muitos anos não se vê, nos EUA, Miami e a região dos ricos serem atingidas por um fenômeno da natureza tão devastador que os homens que servem à meteorologia americana ficaram assustadíssimos. Mas, ainda assim, tiveram tempo de salvar vidas e alertar a população.

O mundo inteiro assistiu a esse fenômeno. O mundo inteiro deu horas e horas de televisão para esse tufão. A cidade foi quase toda destruída. Mas em 15 dias, estará recuperada.

Já o tufão do Sérgio Cabral nunca mais, pelo menos nos próximos 50 anos, destruirá e não conseguirá o homem recuperar um Estado como o do Rio de Janeiro, que durante muitos anos foi considerado o mais belo do mundo. E não se perde tantas horas nem tantos espaços nos jornais para mostrar ao povo que a facção criminosa do Sérgio Cabral não deveria, jamais, sair de suas casas em Bangu ou em outro lugar parecido.

Quem vai se esquecer deste Sérgio Cortes, que chegou como moralista, talvez para afastar as dúvidas que todos poderiam colocar sobre um caráter duvidoso, que iria roubar tanto? O vídeo deste criminoso não deveria sair nunca da mente daqueles que, diferentemente dos de Miami, não são ricos. Pelo contrário, são pobres. E o tufão dele na Saúde do Rio de Janeiro não permite que os pobres possam recuperar suas saúdes, porque ele dizimou a Saúde pública do Rio de Janeiro. Em compensação, continua morando em um duplex na Lagoa, que quando construído já havia dúvida se o primeiro comprador o adquiriu ou ganhou. Na segunda negociação, este Sérgio Cortes dizem não ter chegado com cheque, mas com mala. Hoje, é mais difícil de se acreditar que a historia da mala não seja, de fato, verdadeira.

Todos que sofrem, e que ainda vão sofrer por falta de assistência médica no Rio, nunca mais deverão se esquecer dessas caras, que não podem ser chamadas de faces, pois são verdadeiras caras criminosas.

Agora sabe-se que até nas Olimpíadas ele operou; porque era a única coisa que, como médico, sabia fazer. Bilhetes encontrados comprovam como sabia operar. 

Tags: eua, irma, lava-jato, sérgio cabral, sérgio cortes, tufão

Compartilhe: