Jornal do Brasil

Domingo, 17 de Dezembro de 2017

País - Opinião

Quem não acredita no depoimento de Herman Benjamin não pode servir ao Brasil

Jornal do Brasil

O depoimento do relator da ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, ministro Herman Benjamin, é de envergonhar o Brasil. Quem não acreditar no depoimento deste senhor deve achar que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não é sério. Quem discorda de tudo o que foi relatado por Benjamin, durante a leitura de seu voto nesta quinta-feira (8), e não tem a condição de apresentar contra-argumentos que superem as provas do senhor relator não pode servir ao Brasil.

Durante a leitura de seu parecer, Herman Benjamin afirmou que a corrupção não se restringe apenas à campanha petista, mas que ela é, sim, “generalizada no sistema político-eleitoral brasileiro”. O relator fez questão de frisar que o julgamento tem a chapa Dilma-Temer como foco, mas que isso não significa que haja “exclusividade” de corrupção, já que ela está em todos os partidos políticos do país.

Benjamin afirmou que outros partidos fizeram uso do mesmo expediente, mas que o processo em questão só pode analisar a coligação que venceu a eleição presidencial de 2014. "Não se pense por um segundo sequer que isso foi criação de um partido político ou seus integrantes ou se tratou de anomalia. Muito longe disso. Mas permitiu desequilibrar a balança da disputa eleitoral”, disse o ministro, acrescentando que acordos corruptos por muitos anos, em eleições bem anteriores, permitiram a criação de uma “gordura” para os partidos.

Tags: brasil, corrupção, crise, opinião, política, tse

Compartilhe: