Jornal do Brasil

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

País - Opinião

Banqueiro é condenado, mas não quer ser preso

Jornal do Brasil

O banqueiro que deu cheque sem fundo em plena ditadura, era protegido pelos Vianas e Magalhães - que foram donos da Bahia naquela época - , e com quem até então não tinha acontecido nada, não quer ser preso, mesmo após ter dado vários golpes, ter praticado "gestão temerária" na direção do Banco Econômico e provocado "dano para um volume considerável de pessoas e para o sistema como um todo", de acordo com a Justiça. E ainda quer receber de volta R$ 5 bilhões do Banco Central. 

Se o brasileiro se sente envergonhado em perder uma Copa do Mundo numa goleada por 7 a 1, como deve se sentir ao ver "gestão temerária", “desordem à higidez do Sistema Financeiro, com prejuízos para acionistas, correntistas e para o Banco Central do Brasil”, e "operações fraudulentas, por meio das empresas que dirigiam, bem como pelos resultados ilícitos narrados na peça acusatória” - definições usadas pela Justiça a este senhor, que pode sangrar os cofres da nação, tão frágeis para atender nossa população sofrida na educação, saúde e segurança.

Tags: ação, banco, brasil, condenação, justiça

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.