Jornal do Brasil

Sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

País - Opinião

Ronaldo e Neymar: as coincidências e a preocupação da Fifa em derrotar Brasil 

Jornal do Brasil

Em 1998, nenhum médico nem a clínica indicada pela Fifa conseguiu explicar a convulsão sofrida por Ronaldo Fenômeno antes do jogo contra a França. Vale destacar que toda a parte médica em Copas é feita por empresas de saúde indicadas e credenciadas pela Fifa. 

Naquele momento estava em jogo a final da Copa, e a convulsão de Ronaldo desestabilizou o emocional de toda a equipe brasileira. 

Mesmo o Brasil sendo dirigido por homens experientes como Zagallo, e tendo um médico também experiente, como Lídio Toledo, que passou por várias Copas, o episódio abalou toda a delegação. Espantado com o que aconteceu sem motivo aparente, Lídio Toledo ligou para um neurocirurgião no Brasil. E ele respondeu que após uma crise convulsiva, não se pode permitir que um jogador entre em campo. O jogador entrou apático, já que uma convulsão epileptiforme desestabiliza todo o sistema neuromuscular. O cansaço nas 24 horas seguintes não permite à vítima fazer outra coisa senão dormir. 

Joelhada fratura vértebra de Neymar
Joelhada fratura vértebra de Neymar

O Brasil perde a Copa do Mundo inexplicavelmente. Jacques Chirac supera prognósticos negativos e consegue se reeleger presidente da França.

Em 2014, a Copa acontece no Brasil. O mundo esportivo imaginava que um campeonato poderia ser um prêmio, um privilégio ou, quem sabe, acreditava também que poderia ter sido resultado da corrupção dos mandatários da máfia chamada Fifa. 

De lá para cá, tudo vem sendo feito para desestabilizar o futebol brasileiro. Nos colocaram em 14º no ranking, como se o Brasil em algum momento pudesse ter perdido a posição de principal referência do futebol no mundo. Fizeram tudo. No Brasil, ofenderam desde a maior autoridade, passando pela Justiça e pela polícia, e se envolveram com estelionatários. 

Hoje é o dia D. O Brasil deve assistir a esse jogo não como alguns políticos querem que aconteça, imaginando que a vitória da seleção vá favorecer alguma corrente política. A vitória do Brasil só favorece ao Brasil. Não vimos neste políticos - frustrados com a possibilidade de o Brasil ser campeão - nenhuma declaração contra a Fifa ou de solidariedade com Neymar. Só vemos a discussão se a vitória favorece ou não ao partido do governo. 

O ato falho desses senhores em ter só este tipo de preocupação nos preocupa e nos faz pensar que eles estão torcendo contra o Brasil para que o partido ou o candidato adversário venha a se prejudicar. O prejuízo da derrota é do Brasil. Se bem que o que já aconteceu até agora também é uma derrota para o país.

Tags: brasil, Copa, Fifa, jogo, lesão, Mundial

Compartilhe:

Comentários

1 comentário
  • Roseleine F Guimarães

    Vale, também, pensar neste "apagão" da Seleção brasileira. Um time inteiro parar de sopetão, esqueecer a zaga aberta, indefesa....
    Fácil comentaristas, jornalistas e outros dizerem, agora, "despreparo, inexperiência de nossos jogadores, tudo errado com nossa Seleção."
    SERÁÁ?
    Depois da impunidade com que premiaram colombiano e espanhol, a severidade com a qual puniram Tiago, é o caso de se perguntar: "QUE SELEÇÃO DE FUTEBOL NÃO FICARIA FRAGILIZADA?"
    É, pensar dói, mas a vida continua e não vivemos apenas de futebol. O mundo dá voltas que o mundo duvida.

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.