Jornal do Brasil

Terça-feira, 16 de Setembro de 2014

País - Opinião

Provas são suficientes para Justiça mandar prender a quadrilha que atua na Fifa

E o Brasil não pode aceitar a agressão contra o seu craque Neymar

Jornal do Brasil

As provas já são suficientes para a Justiça mandar prender a quadrilha que atua no alto escalão da Fifa. Desde o primeiro jogo da Copa do Mundo ficou muito evidente o esquema para prejudicar o Brasil. Nesta sexta-feira (4/7), a falta de punição ao juiz que ignorou a agressão do jogador colombiano ao craque Neymar, comprova a "teoria da conspiração da Fifa versus Brasil". 

Logo no início do jogo, a seleção colombiana atacou o atacante Hulk, dando o seu golpe fatal mais tarde, naquele que significa o "grande pilar" do time brasileiro. Esse juiz deve fazer parte do grupo que tenta desestabilizar o Brasil, supostamente comandado pela Fifa. 

No processo de tentativa de desmoralização da Fifa contra o Brasil, a nação foi parar no 19o lugar do ranking da entidade, conseguindo a sua pior colocação na história. E ainda forçou a renúncia de João Havelange. Por outro lado, essa entidade tenta disfarçar a rede de favorecimento que se articula sob os olhares dos seus dirigentes. O filho do primeiro executivo da Fifa trabalha em uma empresa privada, mais especificamente uma empreiteira, mantendo elos favoráveis para as entidades. 

A Fifa está debochando das autoridades brasileiras quando não pune um juiz que tem uma atitude como o mundo presenciou no jogo do Brasil contra a Colômbia. E o deboche é maior quando se envolve com escândalos e "máfia dos ingressos" no país que está sediando o seu evento. E o deboche é ainda maior quando a entidade se nega a fornecer à Polícia Civil e à Justiça os nomes dos seus membros envolvidos na quadrilha que manipulou os ingressos que deixou de fora os torcedores de várias nacionalidades dos jogos da Copa no Brasil. 

O Brasil não pode aceitar, em hipótese nenhuma, o que houve com Neymar. A Fifa estimulou as vaias e xingamentos à Presidente Dilma Rousseff, na abertura do campeonato na Arena Corinthians, quando divulgou uma nota sugerindo que a presidente poderia ser vaiada no discurso de abertura. Isso é um estímulo às vaias. 

Com esse quadro desenhado e escancarado, o que a Justiça está esperando para indiciar essa entidade? Fernandinho Beira-Mar parece ter mais escrúpulo que Joseph Blatte.

Tags: Copa, Fifa, ingressos, justiça, neymar

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.