Jornal do Brasil

Quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

País - Opinião

Vergonhosa composição que permite aos jovens não querer olhar para os políticos

Jornal do Brasil

A vergonhosa composição que permite à juventude não querer nem olhar para os políticos. Primeiro, Aécio Neves jantou com Pezão, que conseguiu que Cesar Maia fosse candidato com ele para votar em Aécio. Dilma também jantou com Pezão, levado por Sérgio Cabral, na presença de Eduardo Paes, para que Pezão votasse com ela. 

Sergio Cabral pediu uma "pesquisa" para ser candidato ao Senado. A "pesquisa" foi feita e atendeu os anseios de Cabral. A "pesquisa" colocava Cabral em absoluto primeiro lugar. Cabral, que acredita no Ibope e na "pesquisa", desistiu de ser candidato com medo de perder, esperando, com ajuda de Pezão, conseguir eleger Dilma ou Aécio Neves e ser ministro de um ou de outro. 

>> Paes declara apoio a Dilma e cita 'bacanal eleitoral' no Rio

>> Cabral desiste do Senado e dá lugar a César Maia em aliança

Cesar Maia, que também não poupa xingamentos a Eduardo Paes, que nunca poupou xingamentos a Sérgio Cabral, aceita ser candidato ao Senado para também ajudar Pezão a eleger Aécio Neves. 

Tudo isso é triste, e mais triste por que é feito no tumulto da Copa do Mundo, imaginando que o povo fluminense ou o próprio povo brasileiro, preocupado com os jogos da Seleção, não está a prestar atenção nesse "grande bacanal", como diz o prefeito Eduardo Paes. Aliás, o prefeito parece entendido em "bacanal eleitoral", porque não titubeou em fazer essa declaração. 

Esquecem que o país não está dando bola para essas "surubas eleitorais", como disse o ex deputado Alfredo Sirkis, mas esperem pelo início de agosto para o povo mostrar como vai aceitar e como vai reagir a essas orgias políticas no Rio de Janeiro.

Tags: Aécio, opinião, país, poítica, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.