Jornal do Brasil

Quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Esportes

Havelange, o grande ausente

Jornal do Brasil

O futebol começou a ter importância no mundo com João Havelange. Começou a se transformar em um dos mais importantes business mundiais na sua gestão. Grandes marcas não só do esporte - da aviação ao barbeador - começaram a ter interesse no futebol por causa de João Havelange.

Até então, o esporte era colônia de escravos. Como sempre, o colonizador inglês não queria - por ter sido seu inventor - que ele saísse dos seus domínios.

Até às guerras o futebol se rendeu na era pré-Havelange. Mas com ele, as guerras é que se renderam ao futebol. Promoveu um encontro entre Yasser Arafat e Henry Kissinger no vestiário de um estádio, num jogo internacional, conseguindo um armistício. Parou o conflito entre Irã e Iraque para a realização de jogos. E ainda combateu o racismo, integrando África, Ásia e o mundo árabe à Fifa.

João Havelange completa 98 anos
João Havelange completa 98 anos

Na sua gestão, a Fifa deixou um pequeno prédio centenário para se instalar num edifício imponente, na Suíça. As Copas do Mundo passaram a ser disputadas como política de Estado. Mas após sua saída, com a administração que o mundo inteiro conhece, passaram a ser disputadas como "negócio da contravenção".

Havelange foi o responsável pelo Império do Brasil no futebol do mundo. Hoje, abandonado por todos que deveriam reverenciá-lo, ele completa 98 anos.

A ingratidão não derrotará a glória de Havelange. E os que, conscientes, vivem e têm benefícios por causa deste esporte, serão sempre devedores ao grande Havelange.

Temos que reconhecer que os nossos cinco títulos mundiais são fruto da semente de ouro plantada por ele em nosso país.

Neste 8 de maio, Jornal do Brasil pede a seus leitores o direito de dizer: parabéns, João Havelange.

Tags: brasil, cbf, esporte, futebol, havelange

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.