Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

Juventude de Fé

O Pacto pelas Juventudes está nas ruas

Walmyr Junior*

Pensando em um novo ciclo para as mais variadas juventudes de nosso país, o CONJUVE (Conselho Nacional de Juventude) lançou esta semana (01/09) o Pacto pela Juventude. Essa proposta é uma iniciativa das organizações da sociedade civil que compõem o Conselho Nacional de Juventude e tem como principal objetivo reforçar a importância das PPJs (políticas Públicas de Juventudes).

A ideia é orientar que os candidatos à eleição deste ano se comprometam com as políticas públicas de juventude, em suas ações e programas. O propósito do pacto é implicar no posicionamento dos candidatos ao que diz respeito as demandas da juventude brasileira em suas respectivas plataformas eleitorais.

Lançado em 2008 com o objetivo de reforçar os parâmetros e diretrizes da Política Nacional de Juventude (PNJ), além de manter e acumular o debate em torno das resoluções da 1ª Conferência Nacional de Juventude, o pacto pelas juventudes revela quem de fato não tem medo de se comprometer em avançar com as PPJs em suas áreas de atuação.

Queremos afirmar que os candidatos devem estar comprometidos em garantir os direitos dos 50 milhões de brasileiros e brasileiras com idades entre 15 e 29 anos. A consolidação de políticas públicas como políticas de Estado só será uma resposta efetiva aos desafios de hoje se tivermos homens e mulheres comprometidos com o total desenvolvimento de nosso país. Tal desenvolvimento deve ter o Estado como indutor, propiciando condições de ascensão social e garantindo direitos específicos que tornem a vivência juvenil uma trajetória de emancipação.

Para isso acontecer temos que ter em vista os avanços dados até aqui e alçar propostas mais ousadas com a ampliação e consolidação de direitos. Temos como resultado positivo a PEC da juventude de 2010, que incluiu a juventude brasileira na Constituição Federal, e a vitoriosa luta que culminou na aprovação e sanção presidencial do Estatuto da Juventude em 2013.

Porém a Juventude é ainda a parcela da população que mais sofre com a violência. Para ir além do que já temos é preciso pontuar a urgência de incluir na dinâmica das PPJs a educação, o trabalho e cultura, o direito ao território, a participação, o direito à cidade e mobilidade urbana, transversalizando as questões de gênero, étnicorraciais, religiosas, indígenas, quilombolas, ribeirinhos e das comunidades tradicionais.

São compromissos concretos assinados no Pacto que podem promover a tão sonhada transformação profunda em nosso país.Saiba mais como comprometer seu candidato com o Pacto pela Juventude em: https://pactopelajuventude.files.wordpress.com/2014/09/termo-de-compromisso-pacto-pela-juventude-20141.pdf 

* Walmyr Júnior é professor. Representante do Coletivo Enegrecer no Conselheiro Nacional de Juventude - CONJUVE. Integra Pastoral da Juventude e a Pastoral Universitária da PUC-Rio. Representou a sociedade civil no encontro com o Papa Francisco no Theatro Municipal, durante a JMJ.

Tags: coluna, fé, júnior, juventude, walmyr

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.