Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Juventude de Fé

Shalom comemora 18 anos no Rio de Janeiro

Walmyr Junior*

A comunidade católica Shalom comemora 18 anos de missão no Rio de Janeiro. No sábado estivemos em uma linda celebração presidida pelo cardeal arcebispo Dom Orani Tempesta na Catedral de São Sebastião. Para monsenhor Joel Portela, pároco da Catedral e Coordenador de Pastoral da Arquidiocese as novas comunidades são uma resposta da Igreja para se adequar à evangelização dos dias de hoje. Segundo ele “no Rio de Janeiro existem várias novas comunidades como a Shalom e a característica delas é ocupar espaços que não são ocupados pela pastoral tradicional, seja numa linha dos trabalhos de fronteiras, seja com trabalho com o sofrimento, com a dor ou com recuperação de dependentes químicos, e até em áreas  em que a paróquia tradicional não chega, como os shopping, ruas e tantas outras áreas.

Fundada há 32 anos em Fortaleza (CE), o Shalom chegou à Cidade Maravilhosa em junho de 1996 a partir de um convite de dom Eugênio Sales para trabalhar com o Projeto Rio Criança Cidadã (PRCC). Com o passar do tempo, foram surgindo convites para formações em grupos de oração de paróquias e em comunidades. Hoje, a comunidade atua em dois centros de evangelização (Catete e Shopping Via Brasil), em uma casa de atendimento a dependentes químicos, em Bangu, e outra para idosos, em Vigário Geral, além das ações de evangelização no Cristo Redentor, na Catedral Metropolitana, nas capelas do América Shopping, no Recreio, e de São Jorge, em Santa Cruz, e em grupos de oração em empresas e condomínios residenciais.

Uma das minhas primeiras experiências com Deus se deu em um retiro com a Comunidade Católica Shalom, o famoso acampamento de jovens do Projeto de evangelização para a juventude da comunidade. Hoje o jovem Levi Costa, responsável do PJJ (Projeto Juventude para Jesus), vive hoje como missionário na comunidade Shalom e diz que o maior desafio para a evangelização é dar o sentido para a busca de felicidade e alegria que a juventude busca hoje. Para Levi “o nosso desafio é ir ao encontro dos jovens, encontrar meios criativos para esse encontro, mas o principal desafio é sairmos de nós mesmos para evangelizar. Por que o jovem do mundo de hoje, o jovem contemporâneo, o jovem que se encontra nas drogas, o jovem que se encontra na prostituição, está sedento do encontro com Jesus Cristo, procura a felicidade onde ela não está. O principal desafio, na verdade, além de encontrar meios criativos, é sairmos de nós mesmos para ir ao encontro desse jovem que espera nossa evangelização, que espera nossa resposta. O desafio principal da evangelização é esse, encontrar meios novos, meios diferentes de evangelizar, mas principalmente que nós desejemos evangelizar.

Segundo os escritos da Comunidade, o carisma Shalom nasce no meio dos jovens, e surgiu de um ardente desejo de evangelizar os mais afastados de Deus. Tudo começou após a abertura de uma lanchonete em Fortaleza, que foi transformada em um meio de atração dos jovens a Deus.

A lanchonete Shalom no Rio de Janeiro é o ponto de encontro dos jovens. Situada na Rua Bento Lisboa, 112, no Catete, a programação da casa ganha força nas noites de sábado com a presença dos jovens que participam de grupos de oração e daqueles que vêm conhecer o local, além dos que buscam um lanche sem ter ideia de onde estão.

A lanchonete representa a isca para evangelização de jovens, o que acontece desde 1982 quando a Obra Shalom foi fundada por Moysés Avezedo e outros jovens. Passados 32 anos, a lanchonete está presente em todas as missões do Shalom no Brasil e no mundo, sendo ainda um espaço para atrair jovens e, também, um local de convivência sadia, com a natural alegria da juventude.

Maria dos Prazeres Trindade, consagrada da Comunidade, diz que muita coisa mudou e lembra dos desafios vividos em outras épocas. “Nós éramos poucos, tínhamos uma casa alugada em Botafogo, o aluguel era caro e tínhamos muitas dificuldades em conseguir pagar as dívidas (...). Um dos eventos que fizemos para ajudar a pagar as dividas foi uma noite baiana com vatapá, acarajé, peixe frito e tudo que tinha direito e conseguimos o dinheiro certo para pagar as dívidas. Hoje temos nossa casa própria há cinco anos no Catete e é nosso primeiro centro de evangelização próprio”.

Roneide Monteiro, que desde 1996 está na comunidade, é hoje a responsável local da comunidade no Rio de Janeiro e fala que esses 18 da comunidade no Estado é um tempo de recomeço, de redescobrir a evangelização e é um tempo de maturidade. “Cremos que a vocação Shalom, que é um dom de Deus, é uma resposta para o tempo de hoje, é um carisma de paz, por que é um carisma de vida ofertada, se não houver a oferta não haverá a graça. Vejo que se faz necessário, por essa radicalidade evangélica que nós somos chamados a viver, a testemunhar no mundo secularizado o evangelho, o Cristo que é atual, que é vivo, que é real, que foi, é e sempre será Deus em nossas vidas.”

 

* Walmyr Júnior Integra a Pastoral da Juventude da Arquidiocese do Rio de Janeiro, assim como a equipe da Pastoral Universitária Anchieta da PUC-Rio. É membro do Coletivo de Juventude Negra - Enegrecer. Graduado em História pela PUC-RJ e representou a sociedade civil em encontro com o Papa Francisco no Theatro Municipal, durante a JMJ.

Tags: coluna, fé, júnior, juventude, walmyr

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.