Jornal do Brasil

Sexta-feira, 20 de Abril de 2018 Fundado em 1891
Juventude de Fé

Colunistas - Juventude de Fé

Caixa Econômica investe na Maré

Jornal do Brasil Walmyr Junior

As associações de moradores das 16 favelas do Complexo da Maré receberam uma boa notícia esta semana. A Federação  das Associações de Favelas do Estado do Rio de Janeiro (Faferj), em conjunto com o grupo Camep, está viabilizando uma parceria com a Caixa Econômica Federal, que vai gerenciar uma linha de crédito para pequenos empresários das comunidades da Maré.

Em seus 50 anos de existência, a Faferj vem lutando pela dignidade e direitos dos moradores das favelas do Estado do Rio de Janeiro. Esta iniciativa tem por finalidade gerar um desenvolvimento econômico nas comunidades. O objetivo é aumentar o capital de giro para os pequenos empresários e comerciantes.

“O Complexo da Maré, mesmo não ocupado pela UPP, tem condições de abrigar o projeto de financiamento dos seus comércios. Esta iniciativa coloca à tona o reconhecimento dos moradores das comunidades periféricas como cidadãos com direitos como qualquer um outro que mora em outro lugar”, garante Valdir, secretário das 16 comunidades do Complexo da Maré.

A iniciativa, que partiu da Camep, foi fruto de um diálogo com a Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República (SMPE). Esta proposta rompe com o preconceito e constrói um novo horizonte para os comerciantes das 16 favelas. “Esta iniciativa tende a avançar para o crescimento econômico das comunidades. Auxiliar o projeto de pequenos empresários da Maré, fará resgatar a dignidade desses moradores”, garantiu Ribamar Santos, presidente da Camep.

“Nós queremos que o pequeno empresário passe da estimativa de lucro dos R$ 60 mil ano para R$ 360 mil ano. Com isso fazemos um programa econômico e social, por que além de aumentar a renda do pequeno comerciante, o projeto vai aumentar as possibilidades de emprego com as novas ofertas que vão surgir com o investimento”, continuou Ribamar. 

A notícia foi recebida com muita euforia pelos moradores. Os representantes das comunidades que estavam presentes garantiram que este projeto vai mudar a vida de muitas pessoas. A possibilidade de aumentar o crédito dos pequenos empresários vai além de um aumento econômico, ele proporcionará um fomento urbano e industrial. “Agora vamos empregar os moradores que ficam no sufoco para conseguir um emprego, nossa comunidade vai ter outra cara”, disse Marquinhos, presidente da Associação dos Moradores da Vila do João.

Ficou para o secretário das associações da Maré, e os outros presidentes das associações das 16 favelas que ali se encontram, definir quais comunidades vão receber a microagência da Caixa Econômica. Os serviços, além do crédito, serão de atendimento comercial, imobiliário e transacional. Agora cabe aos moradores se mobilizarem para conquistar seus espaços e reivindicar seus direitos. 



Tags: coluna, fé, juventude, júnior, walmyr

Compartilhe: