Jornal do Brasil

Sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

Esportes - JB na Copa

Participantes de projetos sociais vão assistir final da Copa do Mundo

Agência Brasil

A violoncelista Mariana Ferreira, de 15 anos, moradora na cidade de Itumbiara, interior de Goiás, está no Rio de Janeiro pela primeira vez. Ela integra a Escola Sinfonia do Amanhã, que oferece aulas de canto e instrumentos como flauta, violino e violoncelo, em Cachoeira Dourada, com o apoio da Fundação Endesa, da Espanha. Mariana é uma das participantes de projetos sociais apoiados pela empresa em Goiás, no Ceará e Rio Grande do Sul, que vão realizar o sonho de assistir à final da Copa do Mundo, no Maracanã, amanhã (13).

Mariana disse estar vendo a experiência como "um momento muito marcante, que vou levar para a vida inteira”. Ela confessou nunca ter imaginado estar aqui, no Rio de Janeiro. Ela falou que pretende seguir carreira como violoncelista e, quem sabe, realizar outro sonho, de  ser engenheira. “São duas paixões que eu tenho”, ressaltou.

Quem também vai realizar o sonho de pisar no Maracanã pela primeira vez é César Augusto da Silva, catador de lixo, 37 anos, morador na periferia de Fortaleza. Ele participou da equipe de 40 catadores que trabalharam na Fifa Fan Fest, na Praia de Iracema. Silva comemorou a inclusão dos catadores, promovida pela prefeitura local. A vida do catador ganhou novo sentido por meio da parceria com o Ecoelce, programa da distribuidora de energia Coelce, do grupo Endesa,  que troca resíduos recicláveis por descontos na fatura de energia.

César está ansioso para conhecer o Maracanã, depois de visitar o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar, dois dos maiores cartões postais do Rio: “Estou com uma ansiedade muito grande, porque eu vou estar lá  representando 10 mil catadores que não têm essa oportunidade. Não sei se vou aguentar a emoção. Acho que vou chorar mais ainda quando chegar lá”.

Além de Mariana e César, a Endesa traz ao Rio o bailarino cearense Alex Magalhães da Silva, de 21 anos, morador de Caucaia, na região metropolitana da capital cearense. Desde  os 13 anos ele  participa do projeto da companhia de dança BCAD, apoiado pela Endesa, que promove a integração de crianças e jovens cearenses por meio da arte e da dança. Hoje, ele é coreógrafo profissional.

Arlindo Lengert, presidente do Lar da Criança e do Adolescente, projeto apoiado pela Endesa Cien na cidade de São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul, e Leopoldo Moura de Almeida, um dos moradores do lar, representarão a instituição na visita ao Maracanã. Leopoldo, de 16 anos, é órfão de mãe, e mora há cinco anos no lar. Ele foi escolhido pelo comportamento e pela dedicação aos estudos e ao trabalho.

A diretora de Relações Externas e Comunicação da Endesa Brasil, Janaína Vilella, disse que a ideia dos  projetos sociais mantidos pela companhia nas comunidades localizadas em sua área de atuação foi proporcionar, com essa viagem, um momento único na vida dessas pessoas.  “Alguns deles, inclusive, nunca tinham saído das cidades onde moram. Acredito que está sendo uma experiência única na vida deles”, salientou.

O grupo Endesa Brasil é uma das cinco maiores empresas privadas do setor elétrico brasileiro. Atua nos segmentos de distribuição, geração e transmissão de energia. Com sede em Niterói (RJ), a empresa mantém operações nos estados do Rio de Janeiro, Ceará, Rio Grande do Sul e de Goiás.

 

Tags: copa do mundo, final, maracanã, projetos sociais, Rio, RJ, seleção

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.