Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Esportes - JB na Copa

 Entorno do Maracanã terá interdições a partir deste sábado

Portal Terra

A venda de cerveja está liberada para a final da Copa do Mundo, mas vai ser controlada. Os bares no entorno do Maracanã vão ser fechados duas horas antes da cerimônia, que começa às 14h20 (de Brasília). “E também pedimos à Fifa para retardar o início da venda dentro do estádio, mas não podemos proibir a venda”, declarou o secretário de segurança do Rio, José Mariano Beltrame.

Para os moradores do entorno do Maracanã, a decisão do Mundial começa neste sábado às 23h. A partir desta hora, a circulação vai ser restringida e até receber visitas vai ser mais difícil, já que a polícia vai começar o controle de acessos às ruas bem antes das 7h utilizadas em jogos da competição realizados anteriormente. Para chegar ao estádio vai ser preciso paciência para passar pelos controles policiais que vão ficar mais distantes do estádio.

Quem vier de metrô só poderá sair da estação Maracanã com ingresso válido ou credencial. “Nossa preocupação é com número de pessoas sem ingressos, com credencial falsa, ingressos falsos, ingressos de outros jogos e com outras intenções.  Fizemos o mesmo na Copa das Confederações e deu certo. Vai ser a maior operação de segurança já vista no Brasil”, afirmou Beltrame.

Os mais de 25 mil homens anunciados pelo Governo Federal para a segurança da cidade vão estar espalhados em áreas estratégicas. “Além do Palácio Guanabara, onde vamos ter reunião de chefes de estado no domingo, vamos ter policiamento especial em Búzios, Lapa, Sambódromo, Ilha de Fundão, Copacabana”, afirmou o secretário.

A estimativa é que cerca de 100 mil argentinos estejam na cidade para a final, a grande maioria sem ingresso. Com o entorno do Maracanã fechado desde 23h do sábado, a intenção é evitar a circulação dos torcedores sem ingresso, como aconteceu na partida entre Argentina e Bósnia, no dia 15 de junho. O jogo então estava marcado para 17h e desde 9h já era possível ver torcedores argentinos no entorno do estádio em busca de entradas que chegavam a custar mil dólares na mão dos cambistas. Cerca de 30 conseguiram pular um muro e invadir o estádio. Nove foram capturados.

Barra-Bravas

Sobre o bloqueio aos Barra-Bravas argentinos, o Secretário Extraordinário de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça, Andrei Rodrigues, disse que houve uma grande cooperação entre as polícias brasileiras e argentinas. “Até dez dias eram 266 estrangeiros impedidos de entrar no país e entre eles Barra Bravas. Alguns foram presos aqui no país”, comentou.

Dentro do estádio o COL vai usar 1600 stewards, 500 a mais que nas outras partidas disputadas no Maracanã este ano. “Teremos atenção especial no que se refere a invasão de campo”, explicou o gerente de segurança Hilário Medeiros. O exército também vai estar presente, principalmente na proteção aos cerca de 15 chefes de estado já confirmados para a final de domingo.

Tags: barra-bravas, copa do mundo, interdição, maracanã, Rio, RJ, venda de bebida

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.