Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Setembro de 2014

Esportes - JB na Copa

Na final da Copa, Alemanha defende hegemonia e Argentina quer manter tabu

Agência Brasil

Além do duelo entre alemães e argentinos no próximo domingo (13), a final da Copa do Mundo pode encerrar uma hegemonia em curso no futebol mundial. Os europeus são os maiores vencedores de copas. Apesar de o Brasil ter o maior número de títulos, cinco, as seleções europeias acumulam dez conquistas, contra nove dos países sul-americanos.

A Itália tem quatro títulos, a Alemanha, três, e França, Inglaterra e Espanha conquistaram um título cada. Na América do Sul, argentinos e uruguaios têm dois títulos cada, que se somam às taças brasileiras. A equipe de Messi pode, no entanto, acabar com esse domínio europeu. Uma vitória contra a Alemanha no domingo deixa tudo igual entre os continentes, mas se o time do técnico Joachim Löw levar a taça para casa, os europeus se distanciam ainda mais, consolidando o domínio europeu.

Uma vitória argentina pode, além de empatar essa disputa com os europeus, manter um tabu. Jamais uma equipe europeia venceu uma Copa em Continente Americano. Em sete mundiais (dois no México, um nos Estados Unidos, um no Brasil, um na Argentina, um no Uruguai e um no Chile), os vencedores foram sempre países sul-americanos. Os dois únicos países que ganharam o Mundial fora de seu continente foram o Brasil, com as conquistas de 1958, na Suécia, e 2002, na Copa organizada pelo Japão e a Coreia do Sul, e a Espanha, em 2010, na África do Sul.

O equilíbrio entre os continentes contrasta com o cenário encontrado nos clubes. As ligas do Brasil, da Argentina, do Uruguai e de outros países sul-americanos não contam com a mesma estrutura financeira e de mídia que as da Inglaterra, Itália, Espanha, França e Alemanha, por exemplo. O alto nível das competições europeias, no entanto, se deve, em parte, ao sucesso dos jogadores sul-americanos em clubes de lá.

Astros como Messi, Neymar, Thiago Silva, além dos uruguaios Suárez e Cavani são apenas alguns exemplos de grandes nomes que ajudam a popularizar os campeonatos europeus. Esse fato ajuda a explicar o sucesso de seleções como as da Argentina e Colômbia em gramados brasileiros. Na hora da Copa, os craques voltam para casa e reforçam seus times. Dos 23 convocados da Argentina, 19 atuam na Europa. Na seleção brasileira, dos quatro atletas que jogam em clubes do Brasil, o único titular é o atacante Fred que, inclusive, teve atuação muito abaixo do nível dos últimos centroavantes brasileiros em copas, como Luís Fabiano, Ronaldo e Romário.

Tags: alemães, argentinos, Copa, decisão, futebol, Mundial

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.