Jornal do Brasil

Segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

Esportes - JB na Copa

Nulo em pênaltis, goleiro holandês fica e vê Romero brilhar

Portal Terra

Foi motivo de grande polêmica a decisão do técnico Louis van Gaal de substituir o goleiro Jasper Cillessen pelo reserva Tim Krul no último minuto da prorrogação do jogo das quartas de final contra a Costa Rica. O camisa 1 saiu irritado de campo e viu seu suplente brilhar nas penalidades, defendendo duas cobranças. Nesta quarta-feira, porém, o episódio foi justificado: Cillessen, que nunca pegou um pênalti na carreira, não conseguiu salvar uma única batida da Argentina na semifinal, na Arena Corinthians, e teve que aguentar o adversário Sergio Romero ser decisivo com mais duas defesas.

O jogo em São Paulo foi fraco tecnicamente e com poucas emoções. Com os dois times arriscando cada vez menos à medida que os minutos do tempo normal e da prorrogação avançavam, a expectativa pela disputa de pênaltis aumentava no estádio. Porém, Van Gaal usou sua última substituição para trocar o esgotado Van Persie por Huntelaar no ataque. Não haveria Krul nesta noite.

Cillessen, de novo, foi seguro com a bola rolando. Salvou duas finalizações cara a cara da argentina nos últimos momentos, em uma cabeçada de Palacio e um voleio de Maxi Rodríguez. A Holanda chegou aos pênaltis por causa dele, mas não teria no arqueiro do Ajax a muralha que teve em Krul nas quartas de final.

Messi deslocou o goleiro holandês na primeira cobrança, e os chutes de Garay e Agüero foram praticamente indefensáveis nos pênaltis seguintes. A bola decisiva ficou nos pés de Maxi Rodríguez, e desta vez o meia argentino cobrou mal. O chute saiu forte, mas no meio do gol, e Cillessen acertou o canto. Ainda assim, só conseguiu desviar minimamente a trajetória da bola, e ela tocou no travessão antes de entrar e decretar a eliminação holandesa.

Se contra a Costa Rica o titular holandês teve que ver seu reserva brilhar no momento em que o time mais precisou do goleiro, desta vez foi pior: quem decidiu não vestia a camisa da Holanda, mas da Argentina. Com uma defesa oportunista aproveitando a péssima batida de Vlaar e outra espetacular para buscar o chute de Sneijder, o antes criticado Romero botou a Argentina na decisão pela primeira vez desde 1990. A Cillessen, resta buscar no futuro a vaga em sua primeira final de Copa – e também sua primeira defesa de pênalti na carreira

Tags: argentino, brilho, Copa, Goleiro, Mundo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.