Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

Esportes - JB na Copa

Brasileiros também comemoram vitória da Alemanha sobre a França

Agência Brasil

Cerca de 900 pessoas torceram e acompanharam o jogo entre a Alemanha e França na embaixada da Alemanha,  em Brasília, hoje (4). O clima de confiança entre os alemães já podia ser percebido antes do jogo e se intensificou a partir do primeiro e único gol marcado logo no início da partida. O jogo entre as seleções foi efetuado no Estádio do Maracanã, no Rio de janeiro.  

Para o empresário e engenheiro alemão, morador do Brasil há dez anos, Andreas Nagl, a vitória das quartas de final não significa apenas passar para a próxima etapa, mas a transposição do obstáculo mais difícil rumo ao título. Na opinião dele, nem a possibilidade de pegar o Brasil no próximo jogo intimida quanto jogar com os franceses. “É o Brasil na semi, né? Mas a gente ganha. O mais difícil é ganhar da França”, avaliou.

Mais cauteloso que seu compatriota, o ministro de Assuntos Econômicos e Temas Globais da embaixada, Christoph Bundscherer, preferiu admitir que o Brasil é favorito, mas disse que os alemães enfrentaram a França “com respeito” e agora estão mais perto da taça. “Nós temos muito respeito também por um pentacampeão, mas queremos a oportunidade de aumentar o número de estrelas no nosso peito. Porque vocês [brasileiros] são os favoritos, então, se nós conseguirmos passar pelo Brasil, teremos grandes chances”, disse.

De acordo com Bundscherer, a comunidade alemã em Brasília é muito pequena,  por isso eles optaram por convidar brasileiros para dividir a torcida e animar a festa germânica. “Quisemos confraternizar também com brasileiros amigos da Alemanha e que gostam de assistir a um bom futebol. O Brasil conseguiu fazer uma Copa linda e nós queremos aproveitar este clima também”, disse.

É nesse perfil que se encaixa o procurador federal Rogério Muniz, que estuda alemão em Brasília e se considera um simpatizante da cultura. Mesmo assim, ele disse que estava dividido sobre a torcida porque gostaria de ver o Brasil eliminar a França na semifinal posteriormente. “A gente está com a França atravessada”, disse. “Mas eu estou dividido, porque  queria me vingar da França, mas não queria que a Alemanha fosse eliminada”, concluiu.

O foco da funcionária pública Larissa Gama era interação. Assistir ao jogo com os alemães foi uma oportunidade para provar à boa comida germânica, tomar cerveja gelada e conhecer gente diferente. “É  difícil o contato, porque não falo a língua, mas vim para interagir”, disse. Mesmo assim, ela gostou do clima de amizade entre os dois povos. “Achei interessante que algumas pessoas estavam com a camisa representando Brasil e  Alemanha, disse.

Mais de 1.200 pessoas foram convidadas pelo embaixador para assistir ao jogo na casa dos alemães em Brasília, entre os que têm contato mais próximo com a embaixada e outros que se interessam pela cultura alemã por outros meios, como o estudo do idioma.

Tags: alemães, Copa, Mundo, seleção, Vitoria

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.