Jornal do Brasil

Sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Esportes - JB na Copa

"Colômbia é amiga e não faz guerra como Chile", diz Felipão 

Portal Terra

O técnico Luiz Felipe Scolari afirmou nesta quinta-feira que o ambiente do jogo contra a Colômbia será diferente da “guerra” contra os chilenos na última semana, quando o Brasil empatou por 1 a 1 e precisou dos pênaltis para eliminar os rivais, em Belo Horizonte, pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

Na ocasião, o técnico brasileiro reclamou muito da violência dos defensores chilenos que acertaram com violência a coxa esquerda do craque Neymar. Outro episódio lembrado foi a briga nos vestiários que envolveu o atacante Mauricio Pinilla e o diretor de comunicações da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Rodrigo Paiva.

“Pelo que vi do vídeo, vocês ficariam assustados, porque tem muitas situações que não foram ditas. Se assistissem ao vídeo, iam ficar chateados pelo que foi dito ao Paulo Paixão e a outros membros da nossa equipe. O Rodrigo (Paiva) revidou uma ofensa e depois houve uma confusão generalizada”, disse Felipão, que também negou a participação de Fred na briga.

O técnico pentacampeão do mundo comentou que a Colômbia, rival desta sexta-feira, às 17h (de Brasília), no Castelão, é diferente de outros vizinhos na questão da rivalidade.

“A Colômbia é uma equipe mais técnica. O Chile agrupa melhor e tem uma dinâmica de jogo diferente. Por equipe, a Colômbia é melhor porque joga jogando, mas não existe uma guerra contra a Colômbia. A guerra é contra Chile, Uruguai e Argentina”, disse.

“Com a Colômbia é mais amizade. O jogo também é difícil, porque eles são bons. Não teremos guerra e os jogadores ficam mais à vontade, porque Chile, Uruguai e Argentina jogam em cima, com malandragem e perspicácia, e não conseguimos responder da mesma forma que eles”, completou.

Com cinco gols em quatro partidas, James Rodríguez é o artilheiro do Mundial. O técnico foi questionado sobre como pretende parar o camisa 10 da seleção colombiana.

“Só vi um jogo com marcação individual, foi no Chile x Holanda, quando o Kuyt jogou de lateral esquerdo para marcar o Alexis Sánchez. Não faremos esse tipo de marcação, marcaremos por setor”, completou. 

Tags: brasil, Copa, Mundo, seleções, técnico

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.