Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

Esportes - JB na Copa

Neymar dá resposta atravessada sobre alegria em campo: "não é festa"

Portal Terra

Jogador mais esperado para dar entrevista na Granja Comary, o atacante Neymar chegou ao local onde se encontravam cerca de 100 jornalistas e mostrou personalidade para encarar de frente todo tipo de pergunta. Antes do início das perguntas, o que mais chamou a atenção foi a instalação de um cronômetro na bancada ao lado de onde o camisa 10 estava sentado. 

Antes de iniciar, o diretor de comunicação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rodrigo Paiva, disse que o aparelho foi instalado para que se fizessem 30 minutos de conversa com o jogador brasileiro. Tempo rolando, cronômetro ligado e as indagações começavam. As primeiras com o assunto mais falado desta semana, relacionadas à emoção exacerbada dos jogadores dentro de campo. 

Perguntas sobre comparações com Messi e James Rodriguez e outras, já feitas na outra entrevista, como relacionadas a pressão de jogar em casa e a responsabilidade de ser o principal jogador da equipe também foram feitas. O jogador, em todos os questionamentos, sempre fazendo questão de olhar nos olhos de quem o indagava e responder para a pessoa como se só tivesse ela na sala de entrevistas. 

Atacante Neymar dá entrevista coletiva na Granja Comary antes do embarque para Fortaleza
Atacante Neymar dá entrevista coletiva na Granja Comary antes do embarque para Fortaleza

O único momento que tirou ele um pouco do sério foi quando um dos jornalistas perguntou sobre a falta de alegria em campo. Neymar começou respondendo: "alegria sempre teve". O repórter retrucou dizendo que imprensa e torcida não têm visto isto. Aí o jogador deu uma "tirada" respeitosa no indagador.

"(Não tem visto) porque você não está em campo com quem está jogando, por isso você não sabe. O comprometimento é muito grande, não é só festa. O time que se compromete acaba vencendo. A última coisa que a gente busca é dar show e fazer espetáculo. A gente está aqui para vencer, não importa se vai dar chapéu, caneta. Não vai fazer todo mundo rir. Estamos aqui para vencer, correr até o fim, cansar e depois sair vencedor".

"Eu nunca tinha feito nada desse tipo e até estou gostando bastante. A psicologia não é importante só no esporte ou no futebol que estamos envolvidos com emoção todo dia. Até sugiro a vocês procurar fazer para a vida do ser humano. Você sai tranquilo, mais leve. Estou aprendendo muita coisa nesse quesito, espero que possa continuar fazendo".

Com bom humor na entrevista, o jogador fez até mímica, quando uma repórter que faz linguagem de sinais mostrou que o sinal que representava o camisa 10 era um moicano. "Mesmo você mudando o cabelo, para os nossos telespectadores o seu sinal sempre será o moicano". Agradecendo a homenagem, Neymar colocou a mão sobre a cabeça e imitou o gesto. Após 34 minutos, bem cronometrados, o atleta deixou o local e seguiu em direção ao ônibus que levará a Seleção para o Rio de Janeiro, onde embarcará para Fortaleza, às 16h30.

Tags: atacante, brasileira, Copa, Mundo, seleção

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.