Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

Esportes - JB na Copa

Psicóloga da Seleção nega "sumiço": estou ligada neles 

Portal Terra

Chamada pelo técnico Luiz Felipe Scolari para cuidar de problemas emocionais da Seleção Brasileira, a psicóloga Regina Brandão viu seu trabalho ser questionado por colegas de profissão nos últimos dias, após o grupo receber críticas pelo excesso de choro dos jogadores em campo, como foi o caso do zagueiro Thiago Silva antes da decisão por pênaltis contra o Chile. 

O psicólogo João Ricardo Cozac, presidente da Associação Paulista da Psicologia do Esporte, criticou a forma como o tratamento estava sendo feito. “O Felipão achar que representa a Regina na Seleção está furado, ninguém tem que representá-la a não ser ela mesma. Ele aceita a psicologia até certo ponto, e esse ponto é muito, muito, muito limitado, 20% do que a psicologia pode oferecer. Os outros 80% o Felipão não conhece ou não aceita”.

Depois das críticas, a psicóloga apareceu nesta terça-feira na Granja Comary. Ela teve uma conversa com a comissão técnica e com o grupo antes do treinamento da equipe, realizado a partir das 15h30. Regina rebateu as argumentações de que está distante do grupo e afirmou que em nenhum momento se afastou dos jogadores e de Felipão. 

"Na verdade a visita de hoje faz parte do nosso planejamento inicial, eu tinha aulas na universidade e não poderia estar indo e voltando muito tempo. Além de dar aula na universidade, eu tinha meu consultório. Tirei férias na sexta-feira e como nós tínhamos planejado antes eu estou aqui agora e, com certeza, volto aqui a semana que vem", disse Regina Brandão à CBF TV.

"A ideia foi continuar o trabalho que a gente tem feito, esse trabalho tem sido acompanhado no dia a dia, então eu falo constantemente com os jogadores. Nos falamos por whatsapp, nos falamos por telefone, por e-mail. Então constantemente eu estou ligada neles e sabendo o que está acontecendo. Acompanhando essas questões psicológicas que vem acontecido ao longo do tempo", completou a psicóloga. 

Nesta segunda-feira, em bate-papo informal com seis jornalistas com quem tem mais intimidade, Luiz Felipe Scolari reconheceu que a equipe está passando do ponto na emoção e esquecendo da razão, mostrando que tem um desequilíbrio psicológico dentro de seu grupo.

Tags: Copa, emoção, Jogadores, Mundo, razão

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.