Jornal do Brasil

Sábado, 22 de Novembro de 2014

Esportes - JB na Copa

Por pronúncia difícil, Lahm evita citar nomes de argelinos

Portal Terra

Pode parecer controverso para uma seleção que tem jogadores chamados Schweinsteiger, Grosskreutz e Weidenfeller, mas o capitão da Alemanha, Philipp Lahm, afirmou neste domingo que prefere não citar os nomes dos jogadores da Argélia, adversária das oitavas de final, por receio de errar a pronúncia. Apesar do cuidado extra, tanto ele quanto o técnico Joachim Löw asseguraram que conhecem os rivais desta segunda-feira e que não cometerão o erro de subestimar o país africano, que se classificou no segundo lugar do Grupo H.

"Sei o nome dos jogadores e onde jogam, mas não quero pronunciar errado", disse Lahm. "Nós estudamos muito nosso adversário e sabemos o que teremos pela frente. Sei que é um time que certamente quer mostrar que merece estar aqui nas oitavas. Eles se defendem juntos, é um time que não deseja tomar gols, não querem perder uma única disputa, preferem jogar dessa forma mais forte. Não é um time muito agradável para se jogar, mas temos que nos entregar, impor nosso jeito de jogar, de forma agressiva".

Lahm não quis citar nomes, mas assegurou que conhece os adversários da Argélia e que a Alemanha não vai subestimá-los
Lahm não quis citar nomes, mas assegurou que conhece os adversários da Argélia e que a Alemanha não vai subestimá-los

Na opinião de Löw, a Argélia pode não ter nenhum nome muito conhecido no cenário do futebol mundial, mas é um conjunto extremamente organizado e difícil de ser batido. O treinador negou qualquer surpresa pelo fato de a seleção africana ter eliminado a Rússia na primeira fase, com um empate por 1 a 1 na última rodada, que garantiu aos argelinos a primeira classificação à segunda fase de uma Copa do Mundo em sua história.

"Não ficamos surpresos. Acompanhamos a Argélia não só nestes três jogos, mas também na fase preparatória para a Copa, porque era um potencial adversário. Sabemos sobre os talentos deles, o pode de lutar, a defesa compacta. Eles também têm jogadores excelentes o ataque, bons no mano a mano. É um time harmonioso e compacto, e está corretamente nesta fase", afirmou o treinador, evitando falar no claro favoritismo alemão.

"Acho que fazemos sempre a mesma coisa, seja contra um time europeu ou de outro continente. Nós vemos os jogos e olhamos os jogadores adversários, fazemos perfis individuais, falamos com nossos jogadores sobre posições específicas... Podemos não conhecer tão bem seus nomes, mas com certeza temos analisado o desempenho da seleção argelina. Sabemos como treinam, que têm grande influência francesa, que muitos desses jogadores foram para a França e jogaram nas seleções juvenis. Os nomes talvez não sejam decisivos, mas a qualidade dos jogadores nós conhecemos", afirmou Löw.

Dos 23 convocados da Argélia, apenas três atuam realmente no futebol francês – o volante Medjani (Valenciennes) e os laterais Mandi (Reims) e Mostefa (Ajaccio). Porém, a grande maioria nasceu e começou a carreira na França. Nesta Copa, os destaques individuais têm sido o meia Feghouli, do Valencia, da Espanha, e o atacante Slimani, do Sporting, de Portugal.

"Não queremos ter o problemas que outros tiveram, de talvez ir para a prorrogação, jogar além dos 90 minutos", projetou Lahm. "Mas não será fácil. Aqueles países chamados de pequenos já mostraram do que são capazes, já vimos na fase de grupos, e estamos prontos para resolver esse problema no campo". Alemanha e Argélia se enfrentam às 17h (de Brasília) desta segunda-feira, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Tags: ALEMANHA, argélia, capitão, copa do mundo, futebol

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.