Jornal do Brasil

Quinta-feira, 31 de Julho de 2014

Esportes - JB na Copa

Na segunda decisão por pênaltis das oitavas, Costa Rica derrota Grécia

Portal Terra

Definitivamente, a Costa Rica fez história na Copa do Mundo de 2014. Neste domingo, o time da América Central venceu a Grécia em partida disputada na Arena Pernambuco, no Recife, para se confirmar pela primeira vez nas quartas de final do Mundial. No tempo normal, as equipes empataram por 1 a 1, e mantiveram o placar na prorrogação. Nos pênaltis, os costarriquenhos levaram a melhor e triunfaram por 5 a 3.

O desempenho dos costarriquenhos não foi vistoso como nos outros jogos, mas acabou suficiente. A Costa Rica fez gol com Ruiz no começo do segundo tempo, teve Duarte expulso e levou o empate nos acréscimos. Sofreu pressão a prorrogação inteira, mas resistiu. Nos pênaltis, acertou as cinco cobranças e ainda viu Navas defender a tentativa de Gekas para confirmar a vitória.

A Costa Rica agora vai tentar derrubar mais um gigante das Copas do Mundo: vai encarar a Holanda, que mais cedo, ás 13h, jogou no Castelão, em Fortaleza, e venceu o México por 2 a 1, de virada. Os times vão se enfrentar pelas quartas de final no sábado, às 17h (de Brasília), na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Domínio grego no primeiro tempo

A Grécia não deu bola para os comentários sobre a grandiosa Costa Rica, a que derrotou Uruguai e Itália para liderar o Grupo da Morte da Copa do Mundo. Na Arena Pernambuco, o time europeu dominou o primeiro tempo, manteve a posse de bola e marcou bem, mas não teve força ofensiva para chegar ao gol. Os costarriquenhos, por sua vez, foram menos incisivos do que na primeira fase.

Aos 6min, o time da América Central levou perigo em chute de Bolaños após passe de Ruiz. Aos 11min, a Grécia respondeu com Christodoulopoulos, que recebeu na esquerda, limpou a marcação e bateu perigosamente para fora. Aos 36min, Salpingidis recebeu toque na esquerda e, dividindo com a marcação costarriquenha, tocou na saída de Navas, que desviou com a perna e, assim, conseguiu evitar o primeiro gol.

Gol e expulsão da Costa Rica

Foi a melhor chance do primeiro tempo, um fator de animação para a seleção grega. A Costa Rica, no entanto, foi mais eficiente e logo no começo do primeiro tempo abriu o placar, aos 7min. Ruiz recebeu passe na entrada da área e, de primeira, bateu de perna esquerda; o chute não saiu com perfeição, mas a bola pegou efeito e entrou no gol quase ao pé da trave esquerda, enquanto o goleiro Karnezis apenas observava.

O gol deixou os gregos claramente abalados. O time ainda se envolveu em polêmica aos 8min, quando uma bola cruzada da direita do ataque costarriquenho foi cortada por Torosidis com o braço dentro da área – o árbitro mandou seguir, enquanto os jogadores pediam pênalti. Para piorar, Duarte deixou a Costa Rica com um homem a menos aos 21min, quando recebeu o segundo cartão amarelo por falta em Holebas.

A Grécia partiu para o ataque, ajudada por substituições feitas pelo técnico Fernando Santos que serviram para deixa-la ainda mais ofensiva. A Costa Rica, por sua vez, fez cera o quanto pode, além de se fechar bem atrás. Jogadores se lesionaram, faltas foram conseguidas e, aos 40min, o time já segurava a bola no campo de ataque depois de bater escanteio curto. A estratégia funcionou até os 46min.

Em mais uma das jogadas na área, Gekas dominou e acertou o gol, mas o goleiro Navas fez grande defesa; Papastathopoulos aproveitou e completou para o gol, empatando o jogo. Nos outros cinco minutos de acréscimos, os gregos ainda quase viraram em cabeçada de Mitroglou, que Navas espalmou por cima da meta. O goleiro ainda ganhou tempo ao ser atendido por lesão, e a partida então foi para a prorrogação.

Prorrogação

O tempo extra na Arena Pernambuco manteve o padrão do final do tempo normal: costarriquenhos acuados tentando superar a inferioridade numérica contra gregos animados pressionando de todas as formas, mas sem eficiência. A melhor chance surgiu aos 4min, quando Gekas recebeu bola alçada na área, mas errou a cabeçada.

No segundo tempo, os costarriquenhos conseguiram criar perigo e quase marcaram aos 7min, em cruzamento para o exausto Campbell, mas ele não conseguiu completar. Em contra-ataque nessa jogada, os gregos invadiram a área com cinco atletas contra três adversários, mas o goleiro Navas salvou a virada ao rebater chute cruzado de Christodoulopoulos.

Pênaltis

A cobrança de pênalti foi perfeita para os costarriquenhos: o time da América Central acertou todas as suas cobranças, três delas apostando em chutes fortes no meio do gol. Fizeram Borges, Ruiz, González e Campbell. Pela Grécia, Mitroglou, Lazaros e Cholevas também converteram, mas Gekas bateu mal e parou em Navas na quarta penalidade. Então Umaña foi para a cobrança, converteu o gol e classificou a Costa Rica.

Tags: . classificação, Copa, Costa Rica, histórica, Mundo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.