Jornal do Brasil

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Esportes - JB na Copa

Vaiada e ironizada, Espanha encerra era de ouro com vitória

Portal Terra

Sob vaias e muita ironia da torcida brasileira presente em Curitiba na Arena da Baixada, a Espanha encerrou de forma melancólica sua era de ouro. Em partida de dois times sem qualquer pretensão de chegar às oitavas de final da Copa do Mundo, a atual campeã mundial venceu a Austrália por 3 a 0 com pouca festa – a cada vez que a bola balançou as redes, o time ouviu gritos de “eliminado”.

Com o resultado, a Espanha chega aos três pontos ganhos no Grupo B da Copa do Mundo e, pelo menos, evita a lanterna ao terminar a primeira fase na terceira colocação. Nos outros jogos, perdeu para Holanda – foi massacrada por 5 a 1 – e para o Chile. É a quinta vez que o atual campeão é eliminado na primeira fase – até o Brasil já passou por isso, em 1966, na Inglaterra.

A vitória sobre a Austrália encerra a era de ouro da Espanha, campeã mundial em 2010 e da Eurocopa em 2008 e 2012. No Brasil, o time não conseguiu repetir o predomínio em campo, viu o esquema de jogo conhecido como tiki-taka ser desmontando e ainda contou com atuações abaixo do esperado de seus principais atletas, principalmente do meia Xavi e do goleiro Casillas.

Ambos sequer entraram em campo em Curitiba. O técnico Vicente del Bosque pelo menos contou com gol de David Villa em sua despedida e duas assistências de Iniesta para vencer. No restante do tempo, a equipe foi ironizada e vaiada pelos brasileiros nas arquibancadas da Arena da Baixada. A cada gol, ouvia-se coro de “eliminada” e o canto “Ai ai ai está chegando a hora. O dia já vem vaiando meu bem, eu tenho que ir embora”. Assim encerrou-se a era de ouro da Espanha.

Gol de letra e vaias

Nem mesmo a eliminação com uma rodada de antecedência fez a Espanha ganhar uma folga frente à torcida brasileira. Na Arena da Baixada, em Curitiba, a equipe foi vaiada sempre que pegou na bola. Ajudou a insatisfação o fato de os times fazerem partida morna. O clima só começou a esquentar aos 24min, quando os espanhóis quase marcaram em chute de Alba de dentro da área, mas Ryan fez grande defesa.

Aos 33min, Villa recebeu pela esquerda do ataque, pedalou e cortou a marcação e cruzou rasteiro, mas a bola passou entre Fernando Torres e a zaga australiana. O placar só foi sair do zero aos 36min. Juanfran recebeu grande passe de Xavi na ponta direita e cruzou rasteiro para o meio da área; Villa já passava na linha da bola, mas conseguiu se ajeitar para completar de letra e marcar um golaço.

A Austrália tentou responder no lance seguinte, quando Davidson cruzou na área na medida para Taggart, mas Pepe Reina se esticou e, com o pé, fez o corte. O primeiro tempo ainda teve duas boas jogadas da Espanha. Aos 41min, Koke carregou pelo meio e arriscou chute, mas Ryan conseguiu espalmar. Aos 45min, o goleiro viu Cazorla receber na área e tocar para o gol, mas Wilkinson foi veloz para afastar o perigo.

Iniesta brilha de novo

No segundo tempo, a partida voltou a ficar morna em Curitiba, o que gerou novas vaias por parte dos torcedores. Os australianos saíram mais para o jogo e mantiveram os espanhóis no campo de defesa. Aos 11min, o técnico Vicente del Bosque colocou Mata no lugar de Villa, que saiu de campo chorando muito – trata-se da despedida do jogador, que não vai mais defender a Espanha e, na próxima temporada, também não jogará no país, já que acertou com o New York City, dos Estados Unidos.

Aos 18min, a Austrália quase empatou com jogada de McGowan pela direita: ele invadiu a área e cruzou rasteiro, mas Halloran não conseguiu alcançar ao se esticar todo. O que ajudou a Espanha foi, mais uma vez, a qualidade de Iniesta. Aos 25min, ele encontrou brecha na marcação adversária para enfiar bola para Fernando Torres, que recebeu na esquerda da área e tocou na saída do goleiro Ryan para fazer o segundo gol. Os jogadores espanhóismal comemoraram o feito.

Conforme o tempo foi avançando, as arquibancadas aumentaram o tom de ironia ao cantar a música “Ai ai ai está chegando a hora. O dia já vem raiando meu bem, eu tenho que ir embora” – essa música, originalmente, é espanhola, e o refrão diz: cante e não chore. Ainda houve motivação para mais um gol. Aos 37min, Fábregas cruzou da esquerda para Mata, que recebeu na segunda trave e, com calma, tocou por baixo de Ryan, encerrando o placar e a era de ouro espanhola.

Tags: 2014, brasil, Copa, espanhóis, Mundo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.