Jornal do Brasil

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Esportes - JB na Copa

Com estrelas apagadas, Messi agora reina soberano na seleção

Portal Terra

Com Gonzalo Higuaín e Kun Agüero bastante apagados, coube a Lionel Messi salvar a honra do badalado quarteto argentino que estreava como titular em Copas do Mundo diante do Irã. Di María, o mais participativo de todos, até tentou ajudar, mas foi Messi quem tirou a equipe do atoleiro para vencer por 1 a 0 no último sábado. Para quem se acostumou à fama com azarado em Mundiais, brilhar assim não é nada mal.

Marcar duas vezes nos dois primeiros jogos de uma Copa é algo que nem Diego Maradona, presente ao Mineirão, conseguiu fazer. Evidentemente, Messi precisará de muito mais para realmente se comparar ao maior ídolo argentino da história, mas parece ciente do que precisa fazer. Chamar a responsabilidade em todos os momentos, por exemplo, tem sido a sua tônica no Brasil. 

Enquanto Agüero não atendeu jornalistas e Higuaín e Di María praticamente não falaram, Messi novamente cumpriu com o que se espera de um líder de equipe depois de um jogo duro de Copa do Mundo. Realizou análise coerente dos pálidos 90 minutos dele e de toda Argentina, e também tratou de colocar panos quentes definitivamente nas questões sobre a equipe com Alejandro Sabella.

"Minhas declarações não tinham maldade, como buscaram plantar com a polêmica que instalaram. Alejandro é excelente com todo o grupo, fala continuamente com o jogador. Só opinei sobre o que me parecia, sobre o que havíamos visto", afirmou Messi na saída do Mineirão. Em circunstância semelhante na estreia, Lionel tinha dito que preferia uma Argentina ofensiva.

"Com espaços, nós fazemos danos. Sem espaços, nos custa unirmos. Não conseguimos ser verticais. (...) Somos os primeiros a saber que não estamos logrando nosso nível de jogo", disse de maneira ponderada sobre a atuação convincente que ainda não veio para a Argentina. Mesmo que tenham jogado ele, Di María, Agüero e Higuaín juntos desde o início. 

"No momento em que a bola entrou foi um desafogo. Necessitávamos o gol para confirmar a classificação. Foi uma alegria por nossa gente. Para ser honesto, foi um dia difícil", confirmou Messi, agora com três gols marcados na história das Copas. 

Difícil, sim. Mas certamente memorável para ele. 

Tags: Argentina, Copa, Messi, quarteto, seleção

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.