Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Esportes - JB na Copa

Belgas e russos vão à Fifa Fan Fest do Rio e festejam em clima família

Agência Brasil

Belgas e russos eram minoria na Fifa Fan Fest, em Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro, na tarde de hoje (22), durante o jogo que terminou com um gol da Bélgica sobre a Rússia, no Estádio do Maracanã. Com cerca de 5 mil pessoas no espaço que comporta 20 mil, famílias aproveitaram para levar os filhos e curtir uma praia em clima de festa. Há dois anos no Brasil, a belga Silvia Gence, trouxe o filho Tomas, de dois anos, para ver o jogo na praia. “Aqui encontrei um espaço muito bom para criança, e este horário é ótimo”, disse ela.

A comerciante Andrea Bertino e o marido Roberto Rosato gostaram tanto do espaço que pretendem voltar no domingo que vem com os filhos adolescentes. “Achei tudo excelente, a cerveja está gelada. Falta comida, uma estrutura de comida um pouco melhor para as pessoas que querem ficar mais tempo, mas o resto está tudo ótimo”, disse ela.

Luísa, de um ano e meio, divertia-se na areia ao lado da mãe, a cake designer Alexandra Rosa. “Moramos aqui perto e todos os domingos passeamos na orla. Hoje conseguimos entrar, pois tentamos ontem, mas não havia condições. Estamos gostando muito”, disse ela.

Muitos sequer assistiam ao jogo, e alguns dormiam estirados em cangas. Moradora do Meier, zona norte, a aposentada Sandra Ribeiro aproveitou seu segundo dia no local para tirar foto com o Fuleco de dois metros, em frente à entrada. “Voltei porque achei maravilhoso. Vi muita gente bonita. Hoje está mais tranquilo que no primeiro dia [Brasil x Croácia], que estava muito cheio”, comentou.

O russo Michael Bragin, que mora e trabalha em Florianópolis, veio ao Rio visitar amigos e soube, por acaso, que havia um espaço com transmissão ao vivo dos jogos em Copacabana. “Acabei aqui por acidente”, contou ele, que garantiu ingresso para o jogo Rússia x Argélia, em Curitiba, na quinta-feira (26).

Mesmo na Casa da Rússia, local criado pelo consulado russo exclusivamente para torcedores durante a Copa do Mundo, no Museu de Arte Moderna, no centro, os russos eram minoria. O local estava cheio de brasileiros e repórteres em busca de russos para suas matérias sobre o jogo.

A brasileira Eliane Grivet, que estudou o idioma russo por um ano e meio, era uma das mais entusiasmadas na torcida e ficou frustrada com o resultado. “Não mereceu perder. O povo russo é raçudo, mas faltou raça”, comentou ela.

A russa Priscila Shtennikova, 28 anos, que mora em Belo Horizonte há dois anos e meio, trouxe os pais da Rússia para tentar assistir ao jogo no Maracanã, mas como não conseguiram ingresso, foram para a Casa da Rússia. Segundo ela, a perfórmance do time surpreendeu. “Eles jogaram muito bem. No primeiro jogo não haviam jogado tão bem. Conseguimos ingressos para o jogo em Curitiba. As chances para a Rússia ganhar são pequenas, mas temos esperança”, disse ela.

Tags: Copa, festa, Fifa, Mundial, Torcida

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.