Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

Esportes - JB na Copa

Após invasão, entorno do Maracanã tem ruas bloqueadas

Portal Terra

Ao contrário do que disse o subsecretário de segurança do Estado, Roberto Alzir e o comandante da Policia Militar, coronel Luiz Castro, o Maracanã virou zona da exceção para o jogo deste domingo entre Bélgica e Rússia pela Copa do Mundo, no Rio de Janeiro. Ninguém passa. Os moradores estão proibidos de chegar perto para caminhar no entorno do estádio e jornalistas e torcedores só passam mostrando a credencial ou o ingresso e mais identidade.

Na sexta-feira Alzir chegou a dizer que não se poderia criar um cinturão em torno do estádio de 2 km de extensão como feito em São Paulo. “Se fosse assim teríamos que fechar o metrô, por exemplo, que fica a 800 metros do estádio”, explicou, dizendo que o Maracanã é um bairro residencial. “Queremos que as pessoas possam se aproximar do estádio e sentir esse clima de Copa do Mundo”, afirmou na ocasião.

Esta manhã as ruas foram totalmente fechadas às 7h. O Comandante da PM fez um discurso parecido. "Em relação a essa aproximação (de pessoas ao estádio), ratificando, não há impedimento legal de que as pessoas se aproximem dali. Pessoas querem ir ao Maracanã tirar fotos e não podemos impedir". Nas ruas do entorno há filas duplas de policiais fechando totalmente a passagem até de moradores que exibem contas para comprovar o endereço de sua residência. Os PMs dizem que apenas cumprem regras.

A preocupação com a segurança no entorno do estádio cresceu após a invasão de um grupo de torcedores chilenos sem ingresso que tentou entrar no local por um acesso destinado aos jornalistas. 

O COL informou que o efetivo total de policiais militares é de 3100 oficiais: 3100 e mais 600 cadetes de reforço, além de 1100 seguranças privados. 

Moradores reclamam de exagero

Morador do entorno do Maracanã, o enfermeiro João José de Carvalho, disse que as barreiras nas ruas próximas do estádio começaram a ser montadas antes mesmo das 6h, por volta das 5h. Na opinião dele, está havendo um exagero da Polícia Militar. Por volta das 9h, ele tentava caminhar perto do estádio e não conseguia. "Eu queria sentir o clima da Copa, ver o movimento e não consegui", disse João José.

Tags: invasão, jogo, maracanã, polícia, segurança

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.