Jornal do Brasil

Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Esportes - JB na Copa

Estádio Mané Garrincha recebe o maior público de sua história

Agência Brasil

Depois de receber 68.351 torcedores no jogo entre a Suíça e o Equador, no dia 15 de junho, o Estádio Nacional de Brasília, o Mané Garrincha, registrou novamente o maior público de sua história, com 68.748 pessoas durante a partida dessa quinta-feira (19) entre a Colômbia e a Costa do Marfim. Entre os que viram a vitória dos vizinhos sul-americanos por 2 x 1 estava o presidente reeleito da Colômbia, Juan Manuel Santos.

Como o próximo jogo no Mané Garrincha será entre o Brasil e Camarões na próxima segunda-feira (23), mais um recorde será registrado, com 69.349 torcedores, sua capacidade máxima durante a Copa do Mundo, por questões de segurança e para acomodação da imprensa. Será a única vez que a seleção brasileira jogará na capital durante o torneio. O Mané Garrincha é o segundo maior estádio da Copa, atrás apenas do Maracanã, que já recebeu a capacidade máxima de 74.738 torcedores na vitória da Argentina sobre a Bósnia, dia 15 de junho.

Apesar de receber mais público ontem, a antecedência com que os torcedores colombianos - a grande maioria presente - chegou ao estádio e uma melhor organização evitaram que se repetisse um dos maiores problemas enfrentados na primeira partida: as longas filas mesmo depois do início da partida, vencida por 2 x 1 pela Suíça sobre o Equador.

Fora do Mané Garrincha, a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal informou que a Polícia Civil registrou quatro prisões em flagrante (de um brasileiro e três colombianos) por venda ilegal de entradas e seis ocorrências por furto de ingressos. Próximo à Rodoviária do Plano Piloto, foi feito um protesto, sem incidentes, com jogo de futebol e crítica à violência policial. Além do estádio lotado, mais de 20 mil pessoas acompanharam o jogo na Fan Fest montada em Taguatinga.

Tags: Brasília, Copa, estádio, jogo, Torcida

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.