Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Esportes - JB na Copa

Perto de vaga, Brasil fica entre freguês e último algoz

Portal TerraCelso Paiva

Muito próximo de conseguir uma classificação para a próxima fase da Copa do Mundo, a Seleção Brasileira já conhece, após os resultados desta quarta-feira em que a atual campeã Espanha deu adeus ao torneio, quem poderá enfrentá-la nas oitavas de final. O panorama coloca na frente da equipe verde e amarela, um freguês histórico e o último algoz, no qual o time já viveu glórias e tristezas ao longo dos anos no Mundial.

A equipe de Luiz Felipe Scolari só tem chances de ficar de fora das oitavas caso perca para a já eliminada seleção de Camarões, o que é muito difícil que aconteça já que o time africano chegará para partida com a motivação baixa e muito provavelmente sem sua principal estrela: o centroavante Samuel Eto'o, companheiro de Willian, Ramires e Oscar no Chelsea.

Com esse panorama e já sabendo qual adversário poderá enfrentar já que os duelos da última rodada do grupo B (de onde sairá o adversário do Brasil) acontecem antes da partida contra os camaroneses, a equipe de Felipão já pode começar a traçar a rota para ver se é mais vantajoso encarar Holanda ou Chile, que decidirão quem fica em primeiro e quem fica em segundo em sua chave.

Historicamente, o melhor rival seria o vizinho sul-americano. Ao todo foram três duelos com os chilenos e três vitórias com extrema facilidade em outras edições da Copa do Mundo. O primeiro jogo foi na semifinal da Copa do Mundo de 1962, na qual a equipe verde e amarela fez 4 a 2 nos donos da casa, com dois gols de Garrincha e dois de Vavá.

Depois, as equipe voltaram a se enfrentar nas oitavas de final do Mundial de 1998. Com um show de Ronaldo, os brasileiros fizeram 4 a 1 no rival sul-americano no torneio em que perderiam a final para a França. O último duelo aconteceu bem recente, na última Copa do Mundo. Em bela exibição de Robinho, o time dirigido por Dunga fez 3 a 0, no que seria sua última vitória na edição de 2010.

Já com a Holanda, o retrospecto em Copas do Mundo não é tão favorável como contra os chilenos. São duas vitórias e duas derrotas, todas em fases decisivas assim como com os sul-americanos. A primeira partida entre brasileiros e holandeses aconteceu no Mundial de 1974. Na ocasião, a Laranja Mecânica como era conhecido o time europeu não tomou conhecimento do tricampeão mundial, fez 2 a 0 e avançou à final.

As duas equipes voltariam a se enfrentar no Mundial de 1994. Em jogo marcado pela comemoração de Bebeto ao filho Matheus e pelo belo gol de falta de Branco, a Seleção dirigida pelo agora coordenador técnico Carlos Alberto Parreira fez 3 a 2, em partida que definiu a arrancada do Brasil rumo ao tetracampeonato. 

Quatro anos depois, já com Zagallo no comando, o Brasil suou mais para derrotar os holandeses na semifinal em 1998. Após empate no tempo normal, com gols de Ronaldo e Kluivert, o time verde e amarelo acabou eliminando os europeus nos pênaltis.

A revanche viria apenas em 2010. Nas quartas de final da última edição do Mundial, o Brasil saiu na frente, mas o meia Sneijder acabou aparecendo e tirando a Seleção, em jogo marcado pela falha de Júlio César no segundo gol holandês e pelo destempero de Felipe Melo, que acabou expulso da partida. 

Deixando a história de lado e pensando no presente, holandeses e chilenos chegam com um time bem modificado em relação ao de 2010. Os sul-americanos montaram um time com pegada depois da chegada de Jorge Sampaoli e, apesar de um esquema tático diferente, tem muitas semelhanças na forma de jogar com o que apresentou o Brasil na Copa das Confederações de 2013, principalmente por conta da marcação sob pressão. Já a Holanda, que chegou desacreditada no Mundial, vive uma fase exuberante na competição principalmente pelas atuações de Robben e Van Persie. 

Antes de conhecer seu adversário nas oitavas de final, veja o que o Brasil precisa para confirmar a classificação:

- Se vencer Camarões:

Brasil avança as oitavas sem depender do resultado de México x Croácia. Fica em primeiro lugar com vitória dos croatas ou empate. Em caso de vitória mexicana, precisa que o triunfo da equipe seja no máximo por um gol de vantagem a mais do que a vitória do Brasil sobre Camarões (ex.: Brasil 1 x 0 Camarões e México 2 x 0 Croácia)

- Se empatar com Camarões:

Brasil avança a próxima fase, mas ficará em segundo caso o duelo entre México e Croácia tenha um vencedor. Só passará de fase com a primeira colocação, caso os dois rivais empatem seu confronto. 

- Se perder para Camarões:

Único cenário que a classificação não está garantida. Um empate entre mexicanos e croatas elimina o Brasil. Se a Croácia vencer a partida, o Brasil terá de torcer para que sua derrota não seja por um placar muito maior do que a dos mexicanos (ex.: Brasil 0 x 2 Camarões e México 0 x 1 Croácia). Vitória do México põe a Seleção na próxima fase como segunda colocada do Grupo A.

Tags: camarões, classificação, Copa, oitvavas, scolari

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.