Jornal do Brasil

Sábado, 2 de Agosto de 2014

Esportes - JB na Copa

Remanescente de 2010, Ramires pode mudar cara da Seleção

Portal Terra

A dúvida da presença de Hulk na equipe titular, por conta do desconforto muscular sofrido durante coletivo realizado neste domingo, pode promover a volta de um dos poucos remanescentes da geração que caiu nas quartas de final da Copa do Mundo de 2010. Mais novo daquele grupo de Dunga e espécie de 12º jogador do treinador na ocasião, Ramires pode se ver novamente como uma peça importante dentro do Mundial. 

Há quatro anos, mesmo sendo reserva de Gilberto Silva e Felipe Melo, ele participou de todos os jogos da Seleção antes da fatídica derrota para a Holanda por 2 a 1. Ramires ficou de fora daquela derrota por tomar o segundo cartão amarelo no duelo contra o Chile pelas oitavas de final. Na ocasião, muitos disseram que a ausência do jogador foi um dos pontos cruciais para aquela eliminação, já que ele era uma das poucas opções no banco de reservas que podia modificar um jogo.

A escolha de Felipão pelo volante do Chelsea ao invés de jogadores mais de frente, como os jovens Willian e Bernard, mostra que o técnico Luiz Felipe Scolari percebeu falhas de marcação no lado direito de campo e pode mudar a característica da equipe para não deixar a Seleção tão vulnerável no setor. 

Ramires pode entrar no lugar de Hulk
Ramires pode entrar no lugar de Hulk

No duelo contra a Croácia ficou evidente que Oscar e Luiz Gustavo sofreram para fazer a recomposição nas subidas de Daniel Alves. Tanto que a maior parte das jogadas perigosas do rival europeu saíram dos pés de Olic, ponta esquerda da equipe que foi derrota pelo Brasil por 3 a 1 na estreia. Inclusive a jogada do gol contra marcado por Marcelo iniciou desta forma. 

Com Ramires, Felipão coloca Oscar mais centralizado ou no lado esquerdo, colocando Neymar no centro. A entrada do jogador do Chelsea deixaria o time com variações menores de movimentação dos três homens que ficam atrás de Fred, mas daria mais tranquilidade para o próprio Oscar ou até Paulinho fazerem jogadas mais ofensivas, já que estarão resguardados por Luiz Gustavo e Ramires. 

Um exemplo disso foi a entrada dele no jogo com a própria Croácia. Com dois minutos em campo, ele roubou uma bola na região central do gramado da Arena Corinthians e iniciou a jogada do terceiro gol brasileiro, marcado por Oscar, que naquela ocasião já estava um pouco mais livre para atacar.

Se no lado defensivo a Seleção ganharia com a entrada do volante no lugar de Hulk, na parte ofensiva, Ramires não tem a mesma qualidade que o jogador do Zenit. O atacante tem uma velocidade menor, mas compensa na força física, nos dribles e principalmente nos chutes fortes a gol, sua principal arma dentro da Seleção. 

Apesar dos críticos acharem que o jogador do Chelsea se adapta mais na função ocupada por Paulinho, Felipão deixou claro, quando ele atuou no amistoso contra o Panamá, que vê Ramires encaixado exatamente nesta posição que pode entrar no duelo contra o México.

"Eu gosto do Ramires também numa outra posição, de lado de campo, porque ele compõe o quarto homem pelo lado direito muito bem. Para amanhã, é essa colocação do Ramires (no lugar de Paulinho ou Hernanes, como segundo volante). Para outros jogos, quem sabe para o futuro, vamos ver o que queremos", disse Felipão na ocasião.

Tags: brasil, Copa, Hulk, Mundial, seleção

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.