Jornal do Brasil

Terça-feira, 27 de Junho de 2017

Jazz

Os ilustres veteranos do Heads of State

Quarteto com saxofonista Gary Bartz brilha no CD 'Four in One'

Luiz Orlando Carneiro

A foto da capa do CD Four in One (Smoke Sessions), do conjunto Heads of State, expressa muito bem a alegria de viver e de fazer música desse grupo de quatro conceituados jazzmen que já ultrapassaram a marca dos 70 anos: Gary Bartz (sax alto), Larry Willis (piano), Al Foster (bateria) e David Williams (baixo).

Bartz é o mais renomado deles em virtude de uma longa colaboração com o extraordinário pianista McCoy Tyner documentada em 10 álbuns, dentre os quais Illuminations (Telarc), que ganhou o Grammy de 2005 na categoria de melhor disco de jazz editado no ano anterior.

Larry Willis foi projetado, na década de 1960, pelo saxofonista Jackie McLean, com o qual gravou Right Now! e Jacknife, ambos para o selo Blue Note. Nos anos 70, trocou por algum tempo o hardbop pelo rock mais ou menos jazzístico da banda Blood, Sweat & Tears.

Na seção rítmica propriamente dita do quarteto Heads of State (ou seja, “chefes de Estado”) estão também dois outros eminentes músicos. Al Foster foi o baterista dos conjuntos de Miles Davis dos anos 70 e 80 (We Want Miles, Decoy, Amandla, dentre outros registros). David “Happy” Williams foi sempre o baixista de escolha do saudoso mestre do piano Cedar Walton (1934-2013).

Foto da capa do CD expressa muito bem a alegria de viver e de fazer música deste grupo
Foto da capa do CD expressa muito bem a alegria de viver e de fazer música deste grupo

Assim é que o recém-lançado Four in One é “vinho do bom”, a merecer a atenção dos jazzófilos apreciadores do que os americanos chamam de “old wine in new bottle”, no bom sentido da expressão. Ou seja, neobop da melhor qualidade recriado por veteranos, naquela linha segundo a qual contemporâneo é tudo aquilo que resiste ao teste do tempo.

Os idosos integrantes do grupo exibem stamina e inventividade próprias de jovens talentos ao longo de 11 faixas, das quais quatro a partir de temas marcantes do repertório jazzístico: a faixa-título FourinOne (7m15), de Thelonious Monk; Moose the Mooche (5m25), de Charlie Parker; Milestones (4m50), de John Lewis/Miles Davis; Freedom Jazz Dance (6m40), do saxofonista Eddie Harris, que Miles Davis transfigurou com grande sucesso no álbum Miles Smiles (Columbia, 1967).

O repertório do novo álbum do Heads of State inclui ainda Sippin' at Bells (3m55), que Charlie Parker e Miles Davis gravaram pela primeira vez em 1947; a conhecida balada Someone to watch overme (8m10), de George Gershwin; e Dance cadaverous (10m), uma das composições que Wayne Shorter escreveu para o seu antológico LP Speak no Evil (Blue Note, 1964).

Os membros do quarteto cooperativo colaboram, cada um, com uma peça. And hecalled himself a messenger (4m25) é de Gary Bartz; Aloysius (6m35) de Al Foster; a balada The dayyou said goodbye (7m55) de Larry Willis; Keep the master im mind (6m55) de David Williams.

O combo já tinha lançado, em 2015, o CD Search for Peace, pelo mesmo selo de sua base em Nova York, o Smoke Jazz Club (lá no início do Harlem, na Broadway, entre as ruas 105 e 106).

Segundo o saxofonista Bartz, ele e seus parceiros procuram “fazer o melhor possível para estabelecer a nossa própria identidade, e não soar, apenas, como uma jam session band”. 

(Samples de Four in One podem ser ouvidos em: www.prostudiomasters.com/search?q=heads+of+state#quickview/album/12249)

Tags: Arte, carneiro, coluna, cultura, disco, jazz, lançamento, luiz, música, orlando

Compartilhe: