Jornal do Brasil

Segunda-feira, 26 de Junho de 2017

Jazz

Novo CD do quarteto de John Abercrombie  

Luiz Orlando Carneiro

John Abercrombie, 72 anos, lançou o seu primeiro álbum como líder em 1974, no selo ECM. Mais de 20 títulos depois – sempre na “casa” de Manfred Eicher – o primoroso guitarrista está de volta às lojas virtuais com o CD Up and Coming. E novamente na companhia dos também admiráveis Marc Copland (piano), Drew Gress (baixo) e Joey Baron (bateria), que com ele gravaram, em 2013, a seleção de 10 faixas intitulada 39 Steps.

Up and Coming é mais uma requintada sessão de jazz desse quarteto “camerístico”, de extrema elegância melódico-harmônica, e de pulsação rítmica “pontilhista” a cargo do baterista Baron, cujo nível de excelência é comparável ao do saudoso Paul Motian (1931-2011).

John Kelman, ex-editor e colaborador senior do site All About Jazz, assim iniciou a sua resenha desse CD: “O ano novo começa não precisamente com um estrondo, mas sim com um disco já inesquecível de puro lirismo, de interplay cheio de nuances, e de arranjos que realçam a preferência do quarteto por sutileza e lirismo. Up and Coming, de John Abercrombie – o primeiro lançamento do ano da ECM – tem também sólido fundamento no conceito de afinidade”.

'Up and Coming' é o primeiro álbum do ano do selo ECM
'Up and Coming' é o primeiro álbum do ano do selo ECM

A empatia entre o guitarrista-líder e o pianista Marc Copland é evidente em termos de “toque” e approach harmônico. E vale lembrar que eles gravaram em duo, em 2011, o álbum Speak to Me (Pirouet), que não esconde a admiração de ambos pelo par Jim Hall-Bill Evans, que registrou – nos idos de 1962 - aquela obra-prima intitulada Undercurrent (Blue Note).

Drew Gress, por sua vez, é um mestre do baixo acústico que nos acostumamos a ouvir na companhia de músicos exigentes - que tocam para plateias também exigentes - como o pianista Fred Hersch, o trompetista Ralph Alessi e o violinista Mark Feldman.

Up and Coming contém oito faixas, das quais cinco compostas por Abercrombie e duas por Copland. O único original jazzístico bem conhecido é Nardis, de Miles Davis, tema que o pianista Bill Evans interpretou em diversos álbuns.

As peças da pena do guitarrista-líder, além da faixa-título (5m50), são: a lírica Joy (4m10); a bem especulativa Sunday school(7m15); as mais movimentadas Flipside (2m50) e Jumbles (5m55). O pianista Copland assina a meditativa Tears (7m30) eSilver circle (7m05), esta última com um certo tempero funky.

O tema de Nardis é apresentado pela guitarra de Abercrombie, delicadamente, por sobre o tilintar do prato de Baron, e desenvolvido em tempo médio - em solos à la Jim Hall-Bill Evans - pelo líder e pelo pianista Copland, com breve solo final do baterista. 

(As faixas de Up and Coming podem ser ouvidas em: https://musicmp3.ru/artist_john-abercrombie-quartet.html)

Tags: Artigo, coluna, jazz, JB, luiz, orlando

Compartilhe: