Jornal do Brasil

Sábado, 21 de Abril de 2018 Fundado em 1891
Jazz

Colunistas - Jazz

Ele é carioca, tocou com Hermeto Pascoal, mas é famoso lá fora

Jornal do Brasil Luiz Orlando Carneiro

O pianista, compositor e também flautista Jovino Santos Neto, carioca de Realengo, é bem mais conhecido nos Estados Unidos do que no Brasil, apesar de ter tocado, por muitos anos, com o incrível Hermeto Pascoal. Em 1993, pegou o avião para Seattle, a fim de estudar regência no Cornish College of the Arts, onde hoje ensina piano e composição. 

Com o seu quinteto baseado naquela cidade da Costa Noroeste norte-americana, Jovino conquistou justa fama, em apresentações mundo afora, e com uma série de discos de Brazilian music com tempero harmônico jazzístico, composta e improvisada com maestria.

O pianista Jovino Santos Neto dá show no Rio nesta segunda-feira 

De sua discografia mais recente, destacam-se Canto do Rio (Liquid City, 2003) e os CDs gravados para o selo Adventure Music: Roda Carioca (2006), Alma do Nordeste, Live at Caramoor (ambos de 2008) e o recentíssimo Veja o som/See the sound. Nos dois últimos, Jovino Santos apresenta-se em duos bem diversos. 

No festival de Caramoor, com o também pianista Weber Iago (Joe Lovano, no sax soprano, é o convidado em Wave, de Jobim); no álbum duplo Veja o som, com uma série de jazzmen e vocalistas, entre os quais David Sanchez (sax tenor), Bill Frisell (guitarra), Joe Locke (vibrafone), Airto Moreira (percussão), Anat Cohen (clarinete), Paquito D'Rivera (clarinete), Ricardo Silveira (guitarra), João Donato (teclados), Gretchen Parlato, Joyce Moreno e Paula Morelenbaum.

Tudo isso para anunciar que o pianista (e eventual flautista) se apresenta no Rio, nesta segunda-feira (4), às 21h, na MC Galeria de Arte (Rua Francisco Otaviano, 55, Arpoador), à frente de um trio com os excelentes Rafael Barata (bateria) e Ricardo Sá (baixo). Nos dias 6 e 7, Jovino toca em Belo Horizonte, no Café 104 (com Dudu Lima, baixo; Neném, bateria); no dia 8, sexta-feira, o show será no Ao Vivo, em Moema, São Paulo (com Bruno Misotto, baixo; Celso de Almeida, bateria).

Jovino dos Santos Neto respondeu assim a um e-mail sobre este giro pelo Brasil:

“Para mim, cada oportunidade de retornar ao Brasil é uma chance de reconectar-me com grandes músicos, alguns de gerações anteriores à minha, outros bem jovens. Quando gravei o projeto Veja o som, tive o prazer de tocar junto de artistas como João Donato, Joyce, Paula Morelenbaum, Monica Salmaso, Teco Cardoso, Ricardo Silveira, Airto Moreira e tantos outros. O importante naqueles encontros foi a espontaneidade, as descobertas mútuas utilizando grandes composições como base para voos de criatividade musical. Agora, ao voltar para fazer espetáculos em três cidades, em cada uma com um time diferente, eu quero aproveitar para desenvolver esta coisa da criação na hora, abrindo espaços para que todos, inclusive nas eventuais canjas, possam se sentir à vontade. O material vai ser uma coletânea de temas que saíram em vários CDs – Roda Carioca (indicado ao Grammy latino em 2006), Alma do Nordeste, Canto do Rio (indicado ao Grammy Latino em 2004) e algumas coisas novíssimas. Estou feliz e não vejo a hora de pisar no Palcus Brasilis”.



Tags: hermeto pascoal, jovino santos neto, pianista

Compartilhe: