Jornal do Brasil

Segunda-feira, 16 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Rei da Espanha e presidente catalão têm primeiro encontro tenso

Jornal do Brasil

O rei Felipe VI da Espanha e o presidente do Executivo catalão, o separatista Quim Torra, se encontraram pela primeira vez nesta sexta-feira (22) em um ato oficial marcado pela tensão entre as duas instituições e os protestos independentistas contra o monarca.

Os dois líderes, assim como o novo chefe de Governo espanhol, Pedro Sánchez, assistiram à cerimônia de abertura dos Jogos do Mediterrâneo, que acontecerão até 1º de julho na cidade catalã de Tarragona, 100 quilômetros a sudoeste de Barcelona.

Antes da cerimônia, apertaram a mão e Torra entregou ao rei um livro sobre o referendo ilegal de 1º de outubro e um relatório sobre a violência policial naquele dia contra os eleitores, assinalou uma fonte do governo regional.

Horas antes, o líder independentista, que havia ameaçado deixar o monarca plantado, anunciou que seu governo não convidará mais o rei para eventos oficiais nem comparecerá nos convocados por ele, acusando-o de "avalizar e incentivar a repressão" contra o separatismo.

Os separatistas criticam o discurso feito por Felipe VI em 3 de outubro, quando acusou de "deslealdade" os dirigentes separatistas e não mencionou os feridos pela polícia durante o referendo.

Também pediu a "garantia da ordem constitucional" ao governo espanhol, que eventualmente interviria na região após a fracassada declaração de independência de 27 de outubro.

Cerca de 300 separatistas protestaram em frente à arena de esportes, gritando "Fora, coroa espanhola" e mostrando cartazes de "Catalunha não tem rei", enquanto outros 50 unionistas mostravam bandeiras da Espanha para dar as boas-vindas a Felipe VI.

"Isto é a República Catalã. A Espanha não me representa, muito menos seu rei", assegurou à AFP Pere Català, operador de uma fábrica petroquímica de 33 anos.

"O rei se limitou a fazer o seu papel, protegendo a unidade do país e representando a Espanha", disse Alfonso Lozano,também trabalhador do setor petroquímico entre os manifestantes unionistas.

A abertura deste tipo de Jogos Olímpicos regionais também permitiu o primeiro encontro entre o novo chefe de Governo Pedro Sánchez e Torra, que se reunirão em Madri em 9 de julho.

A porta-voz do Executivo central, Isabel Celaá, pediu o início "da cura" nas relações entre Barcelona e Madri, embora tenha advertido que a ruptura entre Torra e a Casa Real é "um problema".

Desde a tentativa de secessão, Felipe VI só visitou a Catalunha em fevereiro para a inauguração do Congresso Mundial de Celular em Barcelona, onde também foi recebido em meio a protestos.

Na próxima semana, o monarca pretende voltar a esta região do nordeste para uma cerimônia de entrega de prêmios a jovens empresários em Gerona, um dos principais redutos da independência.

Agência AFP


Compartilhe: