Jornal do Brasil

Terça-feira, 22 de Maio de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Advogado de NY provoca indignação ao insultar latinos por falarem espanhol

Jornal do Brasil

Escutou dois funcionários falando em espanhol em um estabelecimento de Nova York e não tolerou: os insultou e ameaçou chamar a Polícia. Mas foi filmado e agora este advogado perdeu o emprego e existe um pedido formal para revogar sua habilitação.

Os gritos racistas proferidos na terça-feira por um homem identificado pela imprensa americana como Aaron Schlossberg, de 44 anos, no restaurante Fresh Kitchen, da Madison Avenue, geraram muitas reações nas redes sociais. O vídeo feito por uma cliente já tem mais de 1,5 milhão de reproduções.

Em Nova York, com 8,5 milhões de habitantes e uma das cidades mais diversas do mundo, cerca de 27,5% da população é latina. O espanhol é ouvido nas ruas e em estabelecimentos de forma constante.

Nesta quinta-feira, o congressista americano Adriano Espaillat e o presidente do distrito do Bronx, Ruben Díaz Jr., o primeiro nascido na República Dominicana e o segundo de origem porto-riquenha, apresentaram uma queixa disciplinar contra o advogado ao sistema judicial por "sua conduta racista, repreensível", anunciou Díaz no Twitter.

Queremos "que sua habilitação para advogar seja analisada para uma possível revogação", detalhou.

"Uma pessoa não pode se envolver em xenofobia, intolerância, ódio e sair impune. Uma conduta deste tipo não pode ser tolerada", tuitou Espaillat.

"Assistimos ao vídeo de Aaron e ficamos enojados", escreveram ao comitê disciplinar do sistema unificado de tribunais do estado de Nova York.

O advogado - que em seu site diz falar espanhol fluentemente - também perdeu seu emprego no centro de negócios Corporate Suites, na Madison Avenue, informou o New York Post.

Na filmagem de quase um minuto, Schlossberger se enfurece ao ouvir dois funcionários falarem em espanhol e começa a gritar freneticamente com um gerente. "Sua equipe está falando em espanhol com os clientes quando deveriam falar em inglês (...) Aqui é Estados Unidos! (...) Eu pago o seu seguro social, eu pago para que possam estar aqui! O mínimo que vocês podem fazer é falar em inglês".

"Aposto que não têm documentos. Assim, a minha próxima ligação é para o ICE (polícia migratória) para que cada um deles seja expulso do meu país", afirma.

Nas redes sociais apareceram outros vídeos nos quais um homem identificado pela imprensa local como Schlossberg faz outros comentários racistas. Em um segura um homem branco na rua e diz: "De que país você é? Eu sou estrangeiro, você não (...) Você é estrangeiro feio do caralho, então vá à merda".

Desde a eleição de Donald Trump em 2016, as denúncias de crimes de ódio ou episódios de discriminação por raça, religião e orientação sexual aumentaram acentuadamente, de acordo com a Prefeitura.

lbc/yow/cb

Agência AFP


Compartilhe: