Jornal do Brasil

Domingo, 27 de Maio de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Universal apresenta filme sobre primeira alunissagem na CinemaCon

Jornal do Brasil

A Universal abriu o terceiro dia de CinemaCon, nesta quarta-feira (25), com a surpreendente apresentação de "First Man", um drama sobre o primeiro pouso na Lua.

O filme, dirigido por Damian Chazelle, vencedor do Oscar por "La La Land: Cantando Estações", começa a contar a história da missão da Nasa nos anos 1960, repassando a vida adolescente de Neil Armstrong, protagonizado por Ryan Gosling.

A ação começa quando Amstrong inicia seu treinamento para a viagem, o Apollo 11 é lançado e as cápsulas incendeiam enquanto caem na Terra. Enquanto isso, a primeira esposa de Armstrong, Janet, protagonizada por Claire Foy, grita aos cientistas da Nasa: "Vocês não têm nada sob controle".

O trailer da produção, que estreará em outubro, termina com a histórica frase do primeiro homem que pisou na superfície lunar: "Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade".

Gosling qualificou a missão do Apollo 11 como a "viagem mais surpreendente da história", enquanto Foy descreveu "First Man" como a história de "heróis anônimos que deram seu apoio a esta viagem quase impossível".

Os jornalistas haviam especulado que a Universal, como fez ano passado com "Velozes e Furiosos 8", mostraria por completo "Jurassic World: Reino Ameaçado", mas apresentaram somente os cinco primeiros minutos do filme, que conta com as estrelas Chris Pratt e Bryce Dallas.

Ainda assim, esse tempo serviu para ver muita ação, fórmula que dá créditos à empresa. Não à toa, "Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros" faturou 1,7 bilhão de dólares em 2015.

A Universal ofereceu uma seleção de suas próximas estreias, como o filme de terror "Glass", de Night Shyamalan, o fim da trilogia que começou em 2000 com "Corpo Fechado".

"Glass" é protagonizado por Samuel L. Jackson, Bruce Willis, James McAvoy e Sarah Paulson, que aparecem no palco do Caesar's Palace, onde Shyamalan chamou o filme de "a primeira produção de história em quadrinhos realmente aterrorizante".

Agência AFP


Compartilhe: