Jornal do Brasil

Domingo, 25 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Ministro admite venda da Alitalia só após eleições

Carlo Calenda está "menos otimista" sobre conclusão rápida

Agência ANSA

O ministro do Desenvolvimento Econômico da Itália, Carlo Calenda, admitiu nesta quinta-feira (8) que a venda da maior companhia aérea do país, a Alitalia, não deve ser concluída antes das eleições legislativas de 4 de março.

Em entrevista à emissora "Sky", Calenda disse que está "menos otimista" quanto à possibilidade de fechar as negociações nas próximas quatro semanas. "Colocarei todo o meu empenho para concluir antes das eleições. O calendário eleitoral é indiferente para mim, mas não para os investidores, que deram um passo para trás para ver o resultado das eleições", afirmou.

Ao todo, três grupos estão na briga pela Alitalia: a alemã Lufthansa, a britânica EasyJet e o fundo norte-americano Cerberus. A empresa italiana pediu intervenção do governo no primeiro semestre de 2017, após ter ficado insolvente, e continua operando graças a dois empréstimos públicos que totalizam 900 milhões de euros.

Se não for vendida, a Alitalia correrá o risco de entrar em falência. 

Tags: alitalia, companhia, falencia, internacional, voos

Compartilhe: