Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Hong Kong renova condenações de líderes da 'Revolução dos Guarda-Chuvas'

Autoridades revogaram as condenações de três pessoas

Jornal do Brasil

As condenações dos três ativistas do movimento pró-democracia de 2014 em Hong Kong, conhecido como "Revolução dos Guarda-Chuvas", foram revogadas nesta terça-feira (6).

Para conseguir ganhar a apelação das condenações, os ativistas que encabeçaram os protestos, Joshua Wong, Nathan Law e Alex Chow recorreram à mais alta corte de Hong Kong. Em agosto de 2017, os três foram condenados a penas que variam entre seis e oito meses de prisão pela participação na Revolução dos Guarda-Chuvas.

Porém, sob pagamento de fiança, foram soltos algumas semanas depois. Law, de 24 anos, havia sido sentenciado a oito meses de prisão; Chow, de 26 anos, recebeu sete meses de cárcere. Por fim, Wong, de 21 anos, foi condenado a três meses de reclusão. A condenação foi um apelo da Procuradoria, já que pediam penas mais rígidas aos ativistas do que as sancionadas em primeira instância.

A "Revolução dos Guarda-Chuvas" foi iniciada em setembro de 2014, quando manifestantes a favor da democracia se reuniram na frente da sede do governo e ocuparam diversas ruas da cidade. As manifestações começaram após o Congresso Nacional do Povo anunciar que a população não participaria nas escolhas dos candidatos a governador de Hong Kong.



Tags: guarda-chuva, hong kong, política, prisões, revolução

Compartilhe: