Jornal do Brasil

Sábado, 21 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Maduro diz que negociação com oposição avança 'em bom ritmo'

Conversas são baseadas em cinco pontos principais

Jornal do Brasil

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou na noite desta quinta-feira (11) que o primeiro dia de negociações com a oposição do país está avançando em "bom ritmo".

O diálogo, que foi iniciado em setembro do ano passado, foi retomado com reuniões na República Dominicana com a intermediação do México, Chile, Bolívia, São Vicente e Granadinas e Nicarágua e segue até hoje (12).

"Nossa delegação leva instruções precisas de minha parte para avançar nos acordos integrais para a defesa da economia contra as sanções imperialistas", disse em pronunciamento para rádio e televisão direto do Palácio Miraflores.

De acordo com o mandatário, o líder do governo nas conversas, o ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez, vai tentar avançar nos acordos de proteção de direitos econômicos e sociais dos venezuelanos e dar garantias "plenas e totais" para as eleições presidenciais deste ano.

"Garantias para fazer as eleições de 2018 e para que a oposição não tenha desculpas para sair correndo, seguir pelo caminho de abstenção, da violência e da 'guarimba' [protestos que fecham avenidas]. Espero que avance porque somos pessoas de palavra e acredito no diálogo", disse ainda o mandatário.

A fala, porém, contradiz as ameaças feitas por Maduro em dezembro, quando disse que a oposição seria impedida de disputar o pleito para o Executivo porque boicotou as eleições municipais.

No entanto, ele acusou parte da oposição de ser responsável por "protestos violentos desde dezembro", tentando minar o governo. Para ele, o partido Primeiro Justiça, o opositor Henrique Caprilles e os irmãos Tomas e Juan Pablo Guanipa estão por trás das ações.

Nas conversas, a oposição é liderada pelo deputado Julio Borges, um dos principais expoentes políticos do país. No entanto, desde que chegou para as conversas, ele não deu declarações públicas sobre o tema.

De acordo com os observadores internacionais, o diálogo está sendo baseado em cinco pontos principais: fim das sanções financeiras contra o país, a crise política entre Assembleia Nacional e a Constituinte, a libertação dos presos políticos, os corredores humanitários para comida e remédios e garantias de liberdade nas eleições presidenciais.

Mergulhada em uma crise política, econômica e humanitária, a Venezuela sofre ainda com sanções internacionais - especialmente dos Estados Unidos.



Tags: crise política, eleições, nicolás maduro, oposição, venezuela

Compartilhe: