Jornal do Brasil

Segunda-feira, 23 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Internacional

'Navio fantasma' norte-coreano chega ao litoral do Japão com cadáver a bordo

Jornal do Brasil

Os numerosos casos de embarcações norte-coreanas derivando em águas japonesas podem ser um "reflexo do desespero crescente na economia da Coreia do Norte".

Uma embarcação supostamente proveniente da Coreia do Norte chegou ao litoral do Japão com pelo menos um cadáver a bordo, informa o CNN. 

Não é a primeira "embarcação fantasma" que chegou ao litoral do Japão, o que mostra o fato das duras condições de vida no país coreano devido às sanções internacionais. 

O navio de 10,7 metros de comprimento foi detectado na terça (12) em uma praia da cidade de Kashiwazaki (na província de Niigata), segundo confirmou ao CNN o porta-voz da polícia local. 

​Construído em madeira, a embarcação tinha números e caracteres coreanos escritos na dianteira. Um policial informou que um corpo masculino foi encontrado no barco, bem como uma placa com uma fotografia do fundador da Coreia do Norte Kim Il-sung.

Outro corpo foi encontrado a cerca de 650 metros a norte do local, mas o funcionário não confirmou que provém do suposto navio norte-coreano. Além disso, na terça (12) mais três corpos foram encontrados perto de uma praia em Fukaura (província de Aomori). A Guarda Costeira e a Polícia estão investigando a identidade de três cadáveres e procurando qualquer ligação com as várias embarcações de madeira que flutuam na área.

Alguns analistas estimam que o reforço de sanções contra a Coreia do Norte forçam os pescadores que se afastem das águas territoriais norte-coreanas em busca de frutos do mar, muito populares no mercado local. 

As fortes sanções impostas devido a testes nucleares incluem a proibição da venda de frutos do mar na Coreia do Norte para outros países, o que significa que os pescadores neste país tentam comercializar a sua captura no mercado negro.

>> Sputnik

Sputnik


Tags: cadáver, coreia do norte, economia, embarcação, fantasma, japão, sanções

Compartilhe: